ANIMAIS

DE QUALQUER RAÇA,COR,TEXTURA OU ATE MESMO PRECISANDO DE CARINHO ESSES BICHINOS SAO UM MAXIMO EU ADORO ANIMAIS ,PARTICULARMENTE CAES E GATOS PORQUE ELES SAO COMPANHEIROS E SE APEGAM MAIS AINDA NA GENTE QUANDO A GENTE CUIDA BEM DELES,CAES QUEM É QUE NAO GOSTA ELES SAO FOFOS E COMPANHEIROS,GATOS SAO SOSSEGADOS E ESPERTOS,SE VOCE TAMBEM TEM UM BICHANO DE SUA OPINIAO SOBRE ELES,FAÇA UMA PERGUNTA ,UM ELOGIO SOBRE AS MATERIAS OU CRITICAS.

QUADRO DE COMENTARIOS ABAIXO:

          





O QUE SEU BICHO DIZ SOBRE SUA PERSONALIDADE?
 DE UMA OLHADA NESSAS DICAS E RESPONDA SE TEM A VER COM VOCE:

              

 


      

Quem tem gato, cachorro ou passarinho sabe que razões não faltam para gostar dessas adoráveis criaturas.Afinal, esses bichinhos nos fazem companhia, trazem tranquilidade, curam a depressão e ajudam as crianças a ter responsabilidade desde cedo - isso só para citar alguns exemplos.

                                                                    
CACHORRO

Donas de cachorro são sociáveis e adoram conhecer gente nova.
Outra característica comum a essas mulheres é que elas costumam ser boas ouvintes com quem desabafar um segredo.




GATO

Segundo a pesquisa, as fãs dos bichanos são pessoas discretas, independentes e têm grande capacidade de comunicação: elas sabem se fazer entender como ninguém.





PASSARINHO

Você nem precisa ter passarinho preso em gaiola para admirar a  beleza desses bichinhos, não é? Mulheres assim são dedicadas e conservam boas amizades.

ESSA DICA É LEGAL ,NAO É,VERIFIQUE SE TEM A VER COM VOCE E DEIXE SEU COMENTARIO DO QUE VOCE ACHOU DESSE ARTIGO!!

                                                           ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,



                                                                          VOCE SABIA?










Os gatos têm em média de 4 a 6 quilos e 80 cm de comprimento, da cabeça ao rabo. Seus corpos são formados por 245 ossos e 517 músculos.







A boca do gato guarda 30 dentesluindo os caninos, que servem para matar e depois despedaçar a presa.

A áspera língua é coberta por sensores de temperatura e gosto, além de ser usada também para a limpeza dos pêlos.





Os gatos são animais curiosos por natureza e adoram brincar com cabos e fios elétricos, alheios ao perigo de levar choques.



Plantas venenosas em casa podem representar um perigo aos felinos. Alguns gatos gostam de mastigar folhas.



Anualmente, os americanos gastam cerca de 4 bilhões de dólares em ração para gatos. Um bilhão a mais do que gastam com comida de bebês!


No Brasil, a expectativa de gastos com um veterinário para seu gato é de cerca de 160 reais por ano, na melhor das hipóteses.

Em toda a vida do seu gato, você deverá gastar algo em torno de 13.500 reais, só com suas necessidades básicas. Nos EUA, são gastos por ano US$ 295 milhões só em areia sanitária.


    O gato mais pesado do mundo era Himmy, um gato australiano que chegou a pesar 21 KG em 1986. Sua cintura tinha 84 cm de largura.
Um gato normal pesa em média 4 KG. O recorde anterior era de Ginger, uma gata de Connecticut que pesava 19,5 KG ao morrer em 1977.
O gato mais leve do mundo foi um himalaiano de Illinois, que pesava apenas 800 gramas e media 18,4 cm de comprimento e 7 cm de altura.
A expectativa de vida dos gatos dobrou desde 1930, passando de 8 para 16 anos;
A duração média de vida de um gato que vive dentro de casa é de cerca de 15 anos. Esta média baixa para assustadores de 2 a 5 anos para os gatos que vivem soltos nas ruas.
O gato de vida mais longa já registrado foi o inglês Puss, que morreu em 1939, um dia depois de ter completado seu 36º aniversário. A gata mais idosa foi uma fêmea inglesa rajada que morreu em 1957, aos 34 anos.


Os gatos passam mais de 30% de seu tempo cuidando da beleza. Adoram estar limpos e com o pelo bem assentado.



Para os gatos, a carícia humana assemelha-se a uma lambida, e por isso é tão bem recebida.



Além dos cuidados com o corpo, os gatos também são meticulosos com sua caixinha de areia, e sempre cobrem a sujeira. A preocupação com a higiene é tanta que eles não usam a caixinha se estiver suja.



Diferente dos cães, os gatos tem muito pouco ou nenhum cheiro.

Os gatos têm cerca de 100 sons vocais, enquanto que os cães apenas têm 10.

Por ser um animal do deserto, o gato bebe pouca água e é capaz de concentrar muita urina, necessitando poucas quantidades para sobreviver.

Certos gatos preferem água suja a uma água bem fresca.
Mesmo conservando seu instinto de caçador, o gato doméstico não sabe que sua presa pode ser um alimento.
A maioria dos gatos adora comer plantas e nenhuma explicação científica foi dada sobre o assunto.
Gato não gosta apenas de carne, apesar de ser carnívoro. Ele também necessita de cálcio, vitaminas e minerais para ter uma alimentação equilibrada.
Um gato pode ficar vários dias sem comer se o alimento não lhe agrada e pode até morrer de fome.
Gatos comem lentamente e mastigam bem os alimentos. Ao contrário dos cães, que engolem tudo gulosamente.
Os felinos são grandes dorminhocos. Os gatos chegam a dormir 16 horas por dia, divididas em vários períodos, deve ser porisso que o meu dorme tanto(risos)


Assim como os seres humanos, os gatos roncam desde a primeira semana de vida. Mais tarde, o ronco aparece quando o acariciamos ou lhe oferecemos um alimento que ele goste ou a presença de alguém que lhe agrade.

                               ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
                                                               curiosidade sobre os caes
                                                                       VOCE SABIA ?
                                             

1 - Os cães suam através das patas e do focinho


2 - Os cães são mais suscetíveis a atacar um estranho que esteja correndo, do que um que esteja parado




3 - A maior ninhada canina ocorreu em 1944, quando uma American Foxhound teve 24 filhotes.


4 - Dar chocolates aos cães pode ser fatal para eles. Um ingrediente do chocolate, a teobromina, estimula o sistema nervoso central e o músculo cardíaco. Cerca de 1 kg de chocolate de leite, ou apenas 146 gramas de chocolate de culinária, servem para matar um cão de 22 kg.



5 - Os pastores australianos são os cães mais espertos do mundo.


6 - Os cães selvagens que vivem em manadas na Austrália são chamados Dingos.



7 - O olfato dos cães é dos melhores da natureza. Se desdobrássemos e estendessemos as membranas que se situam no nariz dos cães, elas seriam maiores do que o próprio cão.



8 - Se um cão tiver a cauda erguida, é um sinal de dominância. Significa que é o líder da matilha.

9 - Os cães têm cerca de 100 expressões faciais e a maior parte delas é feita com as orelhas.
Os Bulldogs e Pitbulls têm apenas 10. Por essa razão, eles são muitas vezes mal compreendidos pelos outros cães e entram em lutas muito frequentemente.
     

                                    ...........................................................

                   COMO PRESTAR OS PRIMEIROS SOCORROS A CAES


                           


Ver um cachorro machucado ou em agonia pode gerar uma sensação de impotência. Aprendendo as dicas deste poste, você estara apreendendo com dúzias de técnicas de primeiros socorros que podem acabar salvando a vida do seu cão.

Como transportar um cão machucado

Assim que o cão estiver contido, você precisa levá-lo ao veterinário o mais rápido possível. Tente mexer nele o mínimo possível e avise o veterinário para que ele esteja pronto, a sua espera. Enquanto isso, use as dicas a seguir para ajudar no transporte do cão ferido com o máximo cuidado.
Se o cachorro puder ser levantado
Se o cachorro for pequeno














Passo 1
.
  • Segure a coleira com uma das mãos e coloque seu outro braço por cima das costas embaixo da barriga. Ao mesmo tempo, puxe a coleira para a frente e erga o corpo do cachorro, apoiando-o contra seu corpo.
Se o cachorro for grande
  • Passe um braço por baixo do pescoço, segurando a garganta na dobra do seu braço. Veja se ele está respirando bem. Coloque seu outro braço por baixo da barriga do cachorro. Erga com ambos os braços.
  • Se o cachorro for muito grande, passe um braço embaixo do pescoço, segurando o peito na dobra do seu braço. Veja se ele consegue respirar bem. Coloque o outro braço por baixo do traseiro e apertando seus braços um contra o outro erga o cachorro.
  • Leve o cachorro a um veterinário.
Se o cachorro precisar de uma maca














Passo 1a
.
Se estiver usando um cobertor
  • Coloque uma mão embaixo do peito e a outra embaixo do traseiro do cachorro. Erga cuidadosamente ou puxe o cachorro para cima do cobertor.
  • Leve o cachorro a um veterinário.
Se estiver usando uma tábua














Passos 2b e 2c
  • Dependendo do tamanho do cachorro, use um tampo de mesa, tábua de passar, tábua de cortar carne grande ou uma estante removível. Veja se o que for usar cabe no seu carro.
  • Coloque 2 ou 3 faixas longas de tecido embaixo da tábua, evitando a área onde vai ficar o pescoço do cachorro; coloque uma mão embaixo do peito e a outra embaixo do traseiro do cachorro. Erga cuidadosamente ou puxe o cachorro para cima da tábua; amarre o cachorro na tábua; leve o cachorro a um veterinário.

Como dar remédios via oral para um cão

Você pode precisar dar remédio para dor após um acidente grave ou um vermífugo mensal, aprender a dar medicação via oral para o seu cachorro é um truque útil. Use as dicas a seguir para dar tanto remédios líquidos como comprimidos para o seu cachorro.
Líquidos
  • Segure o cachorro. Se ele for difícil de lidar você pode precisar de ajuda para contê-lo. Diminua a apreensão do cachorro conversando com ele com calma e segurança. Passe o braço delicadamente sob o pescoço do cachorro, segurando a garganta na dobra do seu braço. Veja se ele pode respirar sem problemas. Passe o outro braço por cima ou por baixo do meio do cachorro, pressionando com cuidado para segurar o corpo do cachorro contra o seu.














    Passos 3 e 4
    .
  • Se necessário, faça uma focinheira frouxa de maneira que a boca abra apenas um pouco.
  • Incline a cabeça do cachorro para trás, com cuidado.
  • Puxe o lábio inferior do cachorro para fazer uma bolsa.
  • Usando um conta-gotas ou uma seringa plástica, coloque o líquido aos poucos nessa bolsa, esperando que cada porção seja engolida antes de dar mais um pouco.
  • Massageie a garganta do cachorro para estimular o reflexo de engolir.
Comprimidos
  • Segure o cachorro. Se ele for difícil de lidar você pode precisar de ajuda para contê-lo.
  • Diminua a apreensão do cachorro conversando com ele com calma e segurança.














    Passos 2, 3 e 4
  • Segure a mandíbula superior do cachorro com uma mão por cima do focinho.
  • Pressione os lábios do cão sobre os dentes superiores apertando com seu polegar em um lado e os outros dedos no outro, de maneira que os lábios do cachorro fiquem entre os dentes e seus dedos. Aperte com firmeza para forçar a boca a ficar aberta.
  • Segure o remédio entre o polegar e o dedo médio da outra mão e coloque dentro da boca o mais fundo possível.
  • Massageie a garganta do cachorro para estimular o reflexo de engolir.
Um método alternativo é esconder o comprimido em um pedaço de salsicha, presunto ou outro petisco que o cachorro goste.

Como tratar um cão sangrando

As patas e pernas de um cachorro são vulneráveis a machucados causados por vidro quebrado, pregos e outros objetos afiados e vão sangrar muito quando cortadas. Orelhas também sangram bastante porque a pele sobre a orelha é muito fina.
Em qualquer ferimento que esteja sangrando, o maior objetivo dos primeiros socorros é evitar a perda excessiva de sangue, que pode levar a um choque. Os sinais de choque incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco acelerado ou respiração rápida. Se um ferimento estiver jorrando sangue, significa que uma artéria foi cortada. Isso requer atendimento profissional imediato.
Como você vai lidar com seu cachorro depende do local e tamanho do sangramento. As seguintes dicas de cuidados com um cão vão ajudar na hora de prestar primeiros socorros nas várias partes do corpo.
Sangramento na cabeça ou tronco














Passo 2
.
  • Contenha o cão se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Passe uma guia pelo pescoço do cachorro e então em volta de um objeto fixo. Puxe o cão contra este objeto e amarre a guia de maneira que o cachorro não consiga mover a cabeça.
  • Faça uma focinheira para sua maior proteção.
  • Cubra o ferimento com uma compressa de gaze estéril ou toalha limpa.
  • Enrole pedaços de pano ou outro material macio ao redor do curativo e amarre ou cole com esparadrapo, pressionando apenas o suficiente para segurar a bandagem no lugar.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
Sangramento na perna, pata ou cauda
  • Contenha o cão se necessário.














    Passo 3
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Corte o pêlo em volta do local machucado.
  • Examine o ferimento para ver se não há pedaços de vidro ou objetos estranhos. Se visíveis, remova com os dedos ou com uma pinça. Se o tecido sob o ferimento aparecer quando você move a pele, provavelmente, vai precisar de pontos.
  • Lave bem o ferimento com água limpa. Evite usar antissépticos, pois podem causar dor.
  • Cubra o ferimento com um pano limpo ou curativo estéril.
  • Coloque sua mão sobre o curativo e pressione com firmeza.














    Passo 8
  • Mantenha a pressão sobre o curativo até parar de sangrar. Se o sangue encharcar o curativo NÃO o remova. Coloque outro curativo por cima e continue pressionando até parar de sangrar. Se o sangramento não parar em até cinco minutos, continue pressionando o ferimento e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Enrole pedaços de pano ou outro material macio ao redor do curativo e amarre ou cole com esparadrapo, pressionando apenas o suficiente para segurar a bandagem no lugar. Comece abaixo do ferimento e cubra de baixo para cima.
  • Se o ferimento for profundo o suficiente para precisar de pontos, evite que o cachorro lamba a perna machucada e leve-o imediatamente ao veterinário.
Sangramento no peito ou abdômen
  • Contenha o cão se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Faça uma focinheira para sua maior proteção.
  • Se o ferimento é no peito e você ouve um som parecido com sucção, faça um curativo para evitar a entrada de ar e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.














    Passo 3
  • Se houver um objeto saindo do ferimento, como uma flecha, NÃO tente remover o objeto.
  • Coloque panos limpos ou compressas estéreis ao redor do ponto de entrada.
  • Faça uma bandagem firme ao redor do ponto de entrada.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Corte o pêlo em volta do local machucado.
  • Examine o ferimento para ver se não há pedaços de vidro ou objetos estranhos. Se visíveis, remova com os dedos ou com uma pinça. Se o tecido sob o ferimento aparecer quando você move a pele, provavelmente vai precisar de pontos.
  • Lave bem o ferimento com água limpa.
  • Cubra o ferimento com um pano limpo ou compressa estéril.














    Passo 10
  • Coloque sua mão sobre o curativo e pressione com firmeza.
  • Mantenha a pressão sobre o curativo até parar de sangrar. Se o sangue encharcar o curativo NÃO o remova. Coloque outro curativo por cima e continue pressionando até parar de sangrar.
  • Enrole tiras de lençol ou outro material macio ao redor do curativo e amarre ou cole com força suficiente para manter a bandagem no lugar.
  • Se o ferimento é profundo o suficiente para precisar de pontos, leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
Sangramento na orelha
  • Contenha o cão se necessário.














    Passo 2
    .
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Faça uma focinheira para sua maior proteção.
  • Cubra o ferimento com um pano limpo ou compressa estéril. Coloque o curativo nos dois lados da orelha. Depois, dobre por cima da cabeça do cachorro e segure firme para controlar a hemorragia.
  • Enrole as orelhas e a cabeça com tiras de lençol. Amarre ou cole a bandagem no lugar com esparadrapo.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
Sangramento nas unhas
Uma unha quebrada ou que foi cortada muito curta pode sangrar. Leve seu cachorro ao salão, pet shop ou clínica veterinária para cortar as unhas se você não se sente confortável cortando em casa.
Se a unha estiver quebrada
  • Contenha o cão se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.














    Passo 3
    .
  • NÃO tente cortar ou remover uma unha quebrada sem colocar uma focinheira no cachorro.
  • Comprima um pano limpo ou compressa estéril contra a unha. O sangramento vai parar em alguns minutos.
  • Leve o cachorro a um veterinário o mais rápido possível.
Se a unha foi cortada muito curta
  • Contenha o cão se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Passe uma guia ao redor do pescoço do cachorro e, então, ao redor de um objeto fixo. Puxe o cachorro para perto deste objeto e amarre a guia de maneira que ele não possa mover a cabeça.
  • Faça uma focinheira para sua proteção.
  • Pressione um pano limpo ou compressa estéril contra a unha.
  • Mantenha pressão firme na área por pelo menos cinco minutos. NÃO remova a bandagem até que o sangramento pare.
  • Se o sangramento não parar em 15 a 20 minutos, leve o cachorro a um veterinário o mais rápido possível. Uma hemorragia contínua indica um problema de coagulação que deve ser tratado rapidamente.
Hemorragia interna
Uma hemorragia interna é sempre uma emergência. Os sinais de hemorragia interna são gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco ou respiração acelerada e sangramento pelas orelhas, nariz, boca ou reto. Os passos a seguir vão ajudar a tratar o cachorro em caso de um possível choque. Leve o cachorro a um veterinário imediatamente.
  • Se houver sangramento por qualquer ferimento externo, trate para evitar o choque.
  • Examine as gengivas levantando o lábio superior. Gengivas pálidas ou brancas indicam que o cão está em choque e pode ter ferimentos ou hemorragia interna grave. Se as gengivas estiverem rosadas provavelmente o cão não está em choque.
  • Determine o batimento cardíaco. Coloque seus dedos com firmeza sobre o cão aproximadamente 5 cm atrás do cotovelo no centro do peito. Conte o número de batidas em 10s e multiplique por 6. Se o cachorro estiver em choque seu batimento deve ser mais de 150 batidas por minuto.














    Passo 3
    .
  • Coloque o cachorro de lado com a cabeça estendida.
  • Puxe a língua do cachorro com cuidado para manter a entrada de ar livre.
  • Eleve um pouco a parte traseira do cachorro, usando um travesseiro ou toalhas dobradas.
  • Para conservar a temperatura corporal, enrole o cachorro em um cobertor ou casaco.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.

Como socorrer um cão com dilatação gástrica

É difícil aceitar que um cão aparentemente saudável dentro de uma hora esteja lutando por sua própria vida. A dilatação gástrica é uma condição extremamente séria e potencialmente fatal. O tratamento profissional é urgente e não deve ser atrasado.














dilatação gástrica
.
A dilatação gástrica parece afetar mais as raças de cachorro grandes e com peito profundo do que as outras. Os sinais aparecem rapidamente e são inconfundíveis, eles incluem baba excessiva, marcha e agitação, abdômen aumentado e tentativas freqüentes de vômito, que produzem uma grande quantidade de espuma branca.
Não existe uma explicação científica satisfatória da causa da dilatação gástrica. Basicamente, o estômago enche de gás como um balão. Entretanto, no balão há espaço para expansão, no estômago não. Então, o gás pressiona o baço, o fígado e outros órgãos internos.
Se você suspeita que seu cão está com o estômago dilatado, leve-o imediatamente ao veterinário. A dilatação gástrica é normalmente seguida de uma torção (o estômago torce), que leva ao choque e morte dentro de poucas horas.
Para prevenir a dilatação e a torção, alimente seu cão com pequenas porções várias vezes ao dia ao invés de apenas uma porção grande, evitar exercícios físicos após as refeições também é importante.

Como socorrer de um cão com uma perna quebrada

É importante lembrar que os cães têm alta tolerância a dor e que uma perna fraturada parece não incomodar. Então, não tenha medo de mexer em um membro fraturado; mas, tenha cuidado. O cachorro vai demonstrar se estiver doendo.
Alguns sinais comuns: uma perna que parece deformada, pendurada, que não suporta o peso do corpo e que está inchada. Também procure por sinais de choque, como: gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco rápido e respiração acelerada.
Para cuidar apropriadamente de um cachorro com um osso quebrado














Passo 2
.
  • Contenha o cão se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Passe uma guia pelo pescoço do cachorro e então em volta de um objeto fixo. Puxe o cão contra este objeto e amarre a guia de maneira que o cachorro não consiga mover a cabeça.
  • Faça uma focinheira para sua maior proteção.
  • Examine a perna e determine que a fratura é exposta (ferimento perto da área quebrada ou osso saindo da pele) ou fechada (sem lesão na pele).














    Passo 3c
    .
  • Se a fratura for fechada, siga ao passo 4.
Se houver fratura exposta
  • Lave bem o ferimento com água limpa.
  • Cubra o ferimento com um curativo estéril ou pano limpo.
  • NÃO tente fazer uma tala. Segure uma toalha grande dobrada sobre o membro não fraturado e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Se o menbro fraturado estiver muito deformado ou se o cachorro demonstrar muita dor quando você tenta fazer uma tala, pare de tentar. Mas se for possível, faça a tala.
  • Use qualquer material disponível para a tala: varetas, jornais, revistas ou papelão. O objeto é para imobilizar, não para reduzir a fratura.














    Passo 4b
  • Prenda a tala ao membro fraturado com tiras de tecido ou gaze.
  • Cole ou amarre as tiras com firmeza, mas sem apertar muito para não impedir a circulação de sangue.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Se o membro fraturado estiver muito deformado ou se o cachorro demonstrar muita dor quando você tenta fazer a tala, segure uma toalha grande dobrada sobre o membro não fraturado e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.

Como socorrer um cão queimado

Os cachorros adoram ficar aos pés dos donos quando estes estão cozinhando. Pode ser muito bonito, mas também pode ser muito perigoso para o cachorro quando se está usando água fervente ou óleo quente na cozinha.
O cachorro pode ter queimaduras de primeiro, segundo ou terceiro graus causadas por fogo, calor, líquidos ferventes, produtos químicos e eletricidade. Todas são dolorosas e podem causar danos e até a morte. Queimaduras superficiais, doloridas e avermelhadas normalmente não são graves. Porém, os primeiros socorros devem ser prestados o mais rápido possível para aliviar a dor.
As dicas a seguir vão ajudar a identificar o tipo de queimadura com a qual você está lidando e também como tratar os ferimentos.
Queimaduras de primeiro ou segundo grau
Os sinais de uma queimadura de primeiro grau incluem pêlos queimados ou intactos, lesões dolorosas e pele vermelha com a possibilidade de formação de bolhas. Os sinais de queimaduras de segundo grau são pêlos queimados ou lesões dolorosas que ficam amarronzadas, com inchaço e bolhas. Se você perceber qualquer um desses sinais, faça o seguinte:
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.














    Passo 2
    .
  • Aplique água fria ou bolsas de gelo no local deixando em contato com a área afetada por 15 min. NÃO use pomadas ou óleo.
  • Se a queimadura cobrir uma grande parte do corpo do cachorro ou estiver onde ele possa lamber, cubra o local com uma compressa estéril. NÃO use algodão.
  • Enrole pedaços de pano ou outro material macio ao redor da compressa e amarre ou cole com esparadrapo somente para manter a compressa no lugar.
  • Leve o cachorro a um veterinário o mais rápido possível.
Queimaduras de terceiro grau
Os sinais de uma queimadura de terceiro grau incluem destruição de uma área de pele, lesões brancas ou pretas e pêlo que sai com facilidade. Também observe sinais de choque, que incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco e respiração rápida. Se você vir algum desses sinais, faça o seguinte:
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Veja se o cachorro está em choque.
  • Examine as gengivas erguendo o lábio superior com cuidado. Gengivas pálidas ou brancas indicam grande possibilidade de choque. Se as gengivas estiverem rosadas o cachorro não está em choque.
  • Determine o batimento cardíaco. Coloque seus dedos com firmeza sobre o cão aproximadamente 5 cm atrás do cotovelo no centro do peito. Conte o número de batidas em 10 s e multiplique por 6. Se o cachorro estiver em choque, seu batimento deve ser de mais de 150 batidas por minuto.
  • Coloque o cachorro de lado com a cabeça estendida. Puxe a língua do cachorro com cuidado para manter a entrada de ar livre.
  • Eleve um pouco a parte traseira do cachorro, usando um travesseiro ou toalhas dobradas. Para conservar a temperatura corporal, enrole o cachorro em um cobertor ou casaco.
  • NÃO use pomadas ou óleos. Coloque uma compressa limpa e seca sobre a área queimada. NÃO use algodão.
  • Enrole pedaços de pano ou outro material macio ao redor do curativo e amarre ou cole com esparadrapo, pressionando apenas o suficiente para segurar a bandagem no lugar.
  • Leve o cachorro a um veterinário o mais rápido possível.
Queimaduras químicas
Os sinais de queimaduras químicas incluem um cheiro característico como de terebentina, gasolina ou inseticida; pele avermelhada ou dor. Se você perceber esses sinais, faça o seguinte:














Passo 2
  • Contenha o cão, se necessário;
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Lave a área completamente com água e sabão, repetindo quantas vezes for necessário para remover o produto químico. Use sabão suave e ensaboe bem. NÃO use qualquer tipo de solvente.
  • Fale com o veterinário para maiores instruções.


Como socorrer um cão engasgado

Quando um cachorro está se afogando com um corpo estranho, precisa de ajuda imediatamente. Quanto mais ele tenta respirar, mais entra em pânico. Seu objetivo nesta situação de emergência é liberar as vias aéreas sem ser mordido.
Os sinais de que o cachorro está engasgado incluem tentar limpar a boca com as patas, língua pálida ou azulada, agonia evidente ou inconsciência. Se o cachorro estiver inconsciente e você acha que há um corpo estranho, libere as vias aéreas antes de fazer ressuscitação cardiopulmonar. Se o cachorro não consegue respirar não adianta tentar a ressuscitação.
Embora possa parecer difícil, você pode ajudar um cachorro engasgado ou inconsciente seguindo as dicas básicas abaixo. Seu esforço pode salvar a vida de um cachorro.
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Desobstrua as vias aéreas.














    Passo 2d
    .
  • Abra a boca do cachorro cuidadosamente, segurando a mandíbula superior com uma mão sobre o focinho.
  • Pressione os lábios do cão sobre os dentes superiores apertando com seu polegar em um lado e os outros dedos no outro, de maneira que os lábios do cachorro fiquem entre seus dentes e os dedos. Aperte com firmeza para forçar a boca a ficar aberta.
  • Se você consegue ver o objeto, tente removê-lo com seus dedos.
  • Se você não conseguir remover o objeto e o cachorro for pequeno o suficiente, segure ele pelas pernas traseiras, vire-o de cabeça para baixo e chacoalhe vigorosamente. Bater nas costas também pode ajudar a mover o objeto.
  • Se você não consegue remover o objeto e o cachorro é grande demais para ser erguido, coloque-o deitado de lado no chão. Coloque a sua mão atrás da caixa torácica e aperte para baixo e um pouco para frente, com firmeza. Solte. Repita rapidamente várias vezes até o objeto ser expelido.
  • Se você não conseguir retirar o objeto, leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Se você retirar o objeto e o cachorro ainda não estiver respirando, sinta sua pulsação colocando seus dedos 5 cm atrás do cotovelo do cachorro no meio do peito.














    Passo 5b
  • Faça respiração artificial. Deite o cachorro de lado; estique a cabeça e o pescoço do cão. Mantenha a boca e lábios fechados e assopre com força pelas narinas. Faça uma respiração de 3 a 5 s. Respire fundo e repita até sentir resistência ou ver o peito subir. Após 10 s pare. Observe o peito para ver se está se movendo, o que indica que o cachorro está respirando sozinho. Se o cachorro não estiver respirando, continue a respiração artificial. Se o coração não estiver batendo faça uma ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães de até 20 kg














Passo 6c
.
  • Deite o cachorro de costas.
  • Ajoelhe-se perto da cabeça do cão.
  • Feche suas mãos sobre o peito do cachorro com as palmas sobre cada lado do peito.
  • Comprima as palmas sobre o peito com firmeza contando até dois e solte contando um. Pressione moderadamente. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro fechados e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min. Como regra geral, faça cinco compressões cardíacas para cada respiração.
  • Pare após um minuto. Observe se há movimento do peito e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos a 5 cm do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo continue a ressuscitação cardiopulmonar.















Ressuscitação cardiopulmonar para cães com mais de 20 kg














Passo 6b
.
  • Deite o cachorro de lado.
  • Coloque a palma da sua mão no meio do peito do cachorro.
  • Comprima contando até dois e solte contando um. É preciso pressionar com firmeza. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro fechados e assopre com força nas narinas. Assopre por três segundos, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min.
  • Pare após um minuto. Observe o peito para ver se o cachorro está respirando e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos meio centímetro atrás do cotovelo, no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo, continue a ressuscitação cardiopulmonar.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário. A ressuscitação e a respiração devem continuar no caminho ou até o cachorro começar a respirar e o coração começar a bater sem assistência.

Como proceder quando um cão entra em convulsão

Uma convulsão ou ataque epiléptico é o resultado da descarga elétrica do cérebro para os músculos do corpo. Raramente uma convulsão é fatal e a maioria dura apenas alguns minutos. Um ataque epiléptico é normalmente seguido de um período de 15min a 1/2h de tempo de recuperação, durante o qual o cachorro pode ficar tonto e confuso.
Nem todas as convulsões são causadas por epilepsia. Algumas são causadas por chumbo ou outros venenos, doenças hepáticas ou até mesmo tumores no cérebro. As convulsões nunca devem ser ignoradas. O problema deve ser discutido com o veterinário o mais rápido possível.
A coisa mais importante a ser feita se seu cachorro estiver em convulsão é protegê-lo de se ferir sozinho. Seja paciente, não entre em pânico e use as dicas a seguir para prestar o socorro devido.














Passo 2
.
  • NÃO coloque os dedos ou qualquer objeto na boca do cachorro.
  • Puxe o cachorro para longe das paredes e móveis para evitar acidentes.
  • Enrole o cachorro em um cobertor para ajudar a protegê-lo.
  • Quando a convulsão parar, chame o veterinário para saber como proceder.
  • Se a convulsão não parar dentro de 10min ou se uma convulsão acabar e começar outra no período de 1h, leve o cachorro imediatamente ao veterinário.


Como proceder quando um cão está com diarréia

A diarréia é um problema comum que acontece porque o alimento passou muito rapidamente pelos intestinos. Pode ser causada por alergias, leite, parasitas, comida estragada ou infecção bacteriana. Existem causas mais graves, como: tumores, infecções virais e doenças do fígado, pâncreas e rins.
Procure ajuda profissional se seu cachorro mostrar sangue, depressão profunda ou dor abdominal. De qualquer maneira, use as sugestões a seguir para aliviar o desconforto do seu cachorro.
  • Remova toda a comida por 12 a 24 h. A água é importante para prevenir desidratação na diarréia grave. Não deve ser removida.
  • Faça o soro caseiro e administre abundantemente em seringas.
  • Se houver sangue ou se a diarréia continuar por mais que 24 h, contate um veterinário. Ele provavelmente pedirá um exame de fezes.
  • Após pelo menos 12 h, trate o cachorro com uma dieta leve como arroz com peito de frango sem pele (mistura 1/2 a 1/2). Quando as fezes começarem a tomar forma, gradativamente volte a dieta normal. Converse com seu veterinário sobre a dose correta para o tamanho do seu cachorro.

Como socorrer um cão mordido por um animal selvagem ou outros cães

Quando um cão entra em uma briga com outro cão, com um gato ou com um animal selvagem, podem ocorrer ferimentos na pele e em tecidos adjacentes. Muitas brigas podem ser evitadas não deixando seu cachorro solto e usando sempre uma guia quando passeia com ele. O cachorro também deve ser treinado para obedecer seus comandos.
Se seu cachorro entrar em uma briga, não tente separar os brigões com as mãos. Um cachorro brigando vai morder qualquer coisa em seu caminho, inclusive você. Puxe seu cachorro pela guia ou use um bastão longo. Quando a briga terminar, examine seu cachorro com cuidado para ver se há ferimentos ocultos. Você provavelmente vai achar furos ao redor do pescoço e nas pernas. Examine bem o pêlo a procura de manchas de sangue, que podem indicar que a pele foi perfurada.
É importante determinar se o animal que mordeu é vacinado contra raiva. Se for um animal selvagem, como um gambá ou guaxinim, tente caçá-lo para poder examinar o cérebro para verificar a raiva. Nunca toque um animal selvagem com as mãos desprotegidas, mesmo morto. Use luvas ou enrole o corpo em um cobertor. Seu veterinário vai fazer o exame da raiva.
Para cuidar adequadamente de um cachorro que foi mordido, use as dicas a seguir.














Passo 2
.
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Passe uma guia pelo pescoço do cachorro e, então, em volta de um objeto fixo. Puxe o cão contra este objeto e amarre a guia de maneira que o cachorro não consiga mover a cabeça.
  • Faça uma focinheira para sua maior proteção.
  • Corte o pêlo ao redor do ferimento.
  • Lave bem o ferimento com água limpa. Evite usar antissépticos, pois podem causar dor.
  • Examine o ferimento. Se o tecido sob o ferimento aparecer quando você move a pele, provavelmente vai precisar de pontos.














    Passo 3
    .
  • NÃO faça bandagem. Deixe a ferida drenar a não ser que haja sangramento excessivo. Se estiver sangrando muito, siga estes passos:
    - cubra a ferida com um pano limpo ou compressa estéril;
    - coloque sua mão sobre a compressa e comprima com firmeza;
    - mantenha a pressão sobre a compressa para parar o sangramento;
    - se o sangue encharcar o curativo NÃO o remova; coloque outro curativo por cima e continue pressionando até parar de sangrar;
    - se o ferimento for profundo o suficiente para precisar de pontos, leve o cachorro imediatamente ao veterinário;
    verifique com o veterinário se seu cão está devidamente vacinado contra a raiva.

Como salvar um cão afogado

Os cães são naturalmente bons nadadores para distâncias curtas, mas podem ter problemas. Pode acontecer dele nadar muito longe e ficar cansado tentando nadar de volta ou ele pode cair em uma piscina e não conseguir sair.
Sempre se proteja ao tentar salvar um cachorro se afogando. Alguns minutos de preparação podem salvar duas vidas, a sua e a do cachorro. Não esqueça de procurar sinais de choque, que incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco rápido e respiração acelerada. Use as dicas a seguir para salvar um cão que esteja se afogando.














Passo 1a
.
  • Resgate o cão.
  • Segurando uma corda, jogue uma bóia na direção do cachorro, tente puxar o cachorro pela coleira usando uma vara ou vá até o cachorro, em um barco.
  • Em último caso, nade até o cachorro sem esquecer de se proteger. Leve alguma coisa onde o cachorro possa ser preso ou possa subir para ser puxado para terra firme.
  • Retire a água dos pulmões do cachorro.
  • Se você puder erguer o cachorro, segure suas pernas traseiras e mantenha-o de cabeça para baixo por 15 a 20 s. Dê 3 ou 4 sacudidas para baixo para ajudar a drenar a água dos pulmões.
  • Se você não puder erguer o cachorro, coloque-o em uma superfície inclinada com a cabeça para baixo para facilitar a saída da água.
    Passo 2a














    .
  • Se o cachorro não estiver respirando, sinta o batimento cardíaco colocando os dedos a 5 cm do cotovelo no meio do peito. Se o coração estiver batendo, faça respiração artificial. Deite o cachorro de lado. Estique a cabeça e o pescoço do cão. Mantenha a boca e lábios fechados e assopre com força pelas narinas. Faça uma respiração a cada 3 a 5 s. Respire fundo e repita até sentir resistência ou ver o peito subir. Após 10 s pare e observe o peito para ver se está se movendo, o que indica que o cachorro está respirando sozinho. Se o cachorro não estiver respirando, continue a respiração artificial. Se o coração não estiver batendo, faça respiração artificial.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com até 20 kg
  • Deite o cachorro de costas.
  • Ajoelhe-se perto da cabeça do cão.
  • Feche suas mãos sobre o peito do cachorro com as palmas sobre cada lado do peito.
  • Comprima as palmas sobre o peito com firmeza contando até dois e solte contando um. Pressione moderadamente. Repita aproximadamente 60 a 90/min.















  • Passo 5f
    Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro fechados e assopre com força nas narinas. Assopre por 3s, respire fundo e repita até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min. Como regra geral, faça cinco compressões cardíacas para cada respiração.
  • Pare após um minuto. Observe se há movimento do peito e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos a 5 cm do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo continue a ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com mais de 20 kg
  • Deite o cachorro de lado.
  • Coloque a palma da sua mão no meio do peito do cachorro.














    Passo 5b
  • Comprima contando até dois e solte contando um. É preciso pressionar com firmeza. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro fechados e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min.
  • Pare após um minuto. Observe o peito para ver se o cachorro está respirando e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos 5 cm atrás do cotovelo, no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo, continue a ressuscitação cardiopulmonar.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário. A ressuscitação e a respiração devem continuar no caminho ou até o cachorro começar a respirar e o coração começar a bater sem assistência.

Como socorrer um cão que levou um choque elétrico

Cães adultos raramente são vítimas de choques elétricos. No entanto, filhotes são naturalmente curiosos e roem praticamente tudo, inclusive fios elétricos. Se o isolamento estiver perfurado e a boca entrar em contato com os dois fios de arame, o cachorro vai levar um choque e pode não conseguir soltar o fio.
A eletrocução pode causar lesões cardíacas graves e acúmulo de líquido nos pulmões. Choques muito fortes podem parar o coração e a ressuscitação cardiopulmonar deverá ser feita imediatamente para fazer o coração voltar a bater. Além disso, a boca do cachorro provavelmente vai estar queimada por causa do contato com os fios desencapados. Verifique sinais de choque, que incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco acelerado e respiração rápida.
Para cuidar adequadamente de um cachorro que levou um choque elétrico, use as seguintes dicas.














Passo 1
.
  • Se o cachorro ainda está com o fio elétrico na boca NÃO o toque. Antes retire o plugue da tomada.
  • Se o cão estiver inconsciente, verifique a respiração. Se o cão não estiver respirando, sinta seu batimento cardíaco colocando seus dedos 5 cm atrás do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração estiver batendo, respiração artificial.
  • Deite o cachorro de lado e estique sua cabeça e pescoço.














    Passo 2
    .
  • Mantenha a boca e lábios fechados e assopre com força pelas narinas. Faça uma respiração a cada 3 a 5 s. Respire fundo e repita até sentir resistência ou ver o peito subir.
  • Após 10 s pare. Observe o peito para ver se está se movendo, o que indica que o cachorro está respirando sozinho.
  • Se o cachorro não estiver respirando, continue a respiração artificial.
  • Se o coração não estiver batendo faça uma ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com até 20 kg
  • Deite o cachorro de costas.
  • Ajoelhe-se perto da cabeça do cão.
  • Feche suas mãos sobre o peito do cachorro com as palmas sobre cada lado do peito.
  • Comprima as palmas sobre o peito com firmeza contando até dois e solte contando um. Pressione moderadamente. Repita aproximadamente 60 a 90/min.













    Passo 1.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min. Como regra geral, faça cinco compressões cardíacas entre cada respiração.
  • Pare após um minuto. Observe se há movimento do peito e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos a 5 cm do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo continue a ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com mais de 20 kg
  • Deite o cachorro de lado.
  • Coloque a palma da sua mão no meio do peito do cachorro.














    Passo 4b
  • Comprima contando até dois e solte contando um. É preciso pressionar com firmeza. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min.
  • Pare após um minuto. Observe o peito para ver se o cachorro está respirando e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos 5 cm atrás do cotovelo, no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo, continue a ressuscitação cardiopulmonar.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário. A ressuscitação e a respiração devem continuar no caminho ou até o cachorro começar a respirar e o coração começar a bater sem assistência.
  • Se a boca ou lábios do cão estiverem queimados (vermelho vivo), passe suavemente água oxigenada 3%.
  • Para manter a temperatura corporal, enrole o cão em um cobertor ou casaco.
Como socorrer um cão que levou um choque elétrico
Cães adultos raramente são vítimas de choques elétricos. No entanto, filhotes são naturalmente curiosos e roem praticamente tudo, inclusive fios elétricos. Se o isolamento estiver perfurado e a boca entrar em contato com os dois fios de arame, o cachorro vai levar um choque e pode não conseguir soltar o fio.
A eletrocução pode causar lesões cardíacas graves e acúmulo de líquido nos pulmões. Choques muito fortes podem parar o coração e a ressuscitação cardiopulmonar deverá ser feita imediatamente para fazer o coração voltar a bater. Além disso, a boca do cachorro provavelmente vai estar queimada por causa do contato com os fios desencapados. Verifique sinais de choque, que incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco acelerado e respiração rápida.
Para cuidar adequadamente de um cachorro que levou um choque elétrico, use as seguintes dicas.














Passo 1
  • Se o cachorro ainda está com o fio elétrico na boca NÃO o toque. Antes retire o plugue da tomada.
  • Se o cão estiver inconsciente, verifique a respiração. Se o cão não estiver respirando, sinta seu batimento cardíaco colocando seus dedos 5 cm atrás do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração estiver batendo, respiração artificial.
  • Deite o cachorro de lado e estique sua cabeça e pescoço.














    Passo 2
    .
  • Mantenha a boca e lábios fechados e assopre com força pelas narinas. Faça uma respiração a cada 3 a 5 s. Respire fundo e repita até sentir resistência ou ver o peito subir.
  • Após 10 s pare. Observe o peito para ver se está se movendo, o que indica que o cachorro está respirando sozinho.
  • Se o cachorro não estiver respirando, continue a respiração artificial.
  • Se o coração não estiver batendo faça uma ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com até 20 kg
  • Deite o cachorro de costas.
  • Ajoelhe-se perto da cabeça do cão.
  • Feche suas mãos sobre o peito do cachorro com as palmas sobre cada lado do peito.
  • Comprima as palmas sobre o peito com firmeza contando até dois e solte contando um. Pressione moderadamente. Repita aproximadamente 60 a 90/min.













    Passo 1
    .
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min. Como regra geral, faça cinco compressões cardíacas entre cada respiração.
  • Pare após um minuto. Observe se há movimento do peito e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos a 5 cm do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo continue a ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com mais de 20 kg
  • Deite o cachorro de lado.
  • Coloque a palma da sua mão no meio do peito do cachorro.














    Passo 4b
    .
  • Comprima contando até dois e solte contando um. É preciso pressionar com firmeza. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min.
  • Pare após um minuto. Observe o peito para ver se o cachorro está respirando e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos 5 cm atrás do cotovelo, no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo, continue a ressuscitação cardiopulmonar.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário. A ressuscitação e a respiração devem continuar no caminho ou até o cachorro começar a respirar e o coração começar a bater sem assistência.
  • Se a boca ou lábios do cão estiverem queimados (vermelho vivo), passe suavemente água oxigenada 3%.
  • Para manter a temperatura corporal, enrole o cão em um cobertor ou casaco.

Como tratar um cão com os olhos machucados

Irritação nos olhos de um cachorro pode ser causada por alergias, poeira e sujeira, cílios nascendo para dentro, brigas, entre outros problemas. Isso pode resultar em uma inflamação moderada do tecido ao redor dos olhos (conjuntivite) ou em danos graves na córnea.
Ao examinar o olho de um cachorro é importante saber que os cães têm uma terceira pálpebra localizada no canto do olho mais próximo ao nariz. Essa terceira pálpebra pode cobrir completamente o globo ocular e às vezes dá a impressão de que aquela parte do olho não está ali.
Além de ser um mecanismo de proteção, a terceira pálpebra pode indicar que algo está errado no olho. Se for levantada e parecer vermelha, o olho está inflamado. Não tente tocar ou manipular esta pálpebra.
Outras indicações de que o cachorro está com os olhos irritados são olhos semi-cerrados, coçar com as patas ou tentar esfregar os olhos. Sua primeira prioridade é evitar que o cachorro se machuque mais ainda, pois isso pode agravar o problema ocular. Use as dicas a seguir para tratar ferimentos nos olhos de um cachorro.
Corpo estranho no olho














Passo 3a
.
  • NÃO tente remover o objeto.
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Evite que o cachorro machuque mais os olhos.
  • O quinto dedo (se presente) deve ser protegido com uma bandagem na pata dianteira do lado do olho machucado.
  • Para cães pequenos, corte um pedaço grande de papelão para fazer um colar elizabetano.

  • ástico, coloque na cabeça do cachorro e prenda na coleira.













    Passo 3b
    .
    Para cães maiores, corte o fundo de um balde pl
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
Olho irritado ou arranhado
Um sinal típico de olho irritado ou arranhado é ficar com o olho semi-cerrado, tentar coçar com as patas, corrimento grosso escorrendo dos olhos ou olhos vermelhos.
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Lave bem o olho afetado com soro fisiológico ou água limpa.














    Passo 3c
    .
  • Previna para que o cachorro não se machuque mais tentando coçar o olho.
  • O quinto dedo (se presente) deve ser protegido com uma bandagem na pata dianteira do lado do olho machucado.
  • Para cães pequenos, corte um pedaço grande de papelão para fazer um colar elizabetano.
  • Para cães maiores, corte o fundo de um balde plástico, coloque na cabeça do cachorro e prenda na coleira.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.



Como tratar um cão com ulceração pelo frio

Quando um animal é exposto a temperaturas congelantes por um longo tempo, sempre há a possibilidade de úlceras por causa do frio. Os sinais desse tipo de ulceração incluem dor, pele pálida nos primeiros estágios e vermelha ou preta nos estágios avançados.
As áreas mais passíveis de ulceração pelo frio são aquelas que têm pouco ou nenhum pêlo e as orelhas e ponta da cauda, que tem pouca circulação sangüínea. Ocasionalmente, se a lesão decorrente da ulceração for severa, parte da orelha ou da ponta da cauda pode cair. O veterinário deve ser procurado antes disso acontecer. Para cuidar adequadamente de um cão com ulceração pelo frio, use as seguintes dicas.














Passo 2
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Passe uma guia pelo pescoço do cachorro e então em volta de um objeto fixo. Puxe o cão contra este objeto e amarre a guia de maneira que o cachorro não consiga mover a cabeça.
  • Faça uma focinheira no cachorro para sua proteção, se necessário.
  • Aqueça a área com toalhas úmidas. A água deve ser morna (24ºC). NÃO use pomadas.
  • Se a pele ficar escura, leve o cachorro a um veterinário o mais rápido possível.



Como tratar um cão com insolação

A insolação é causada pela incapacidade do corpo de manter a temperatura normal por causa da temperatura ambiente muito quente. Normalmente acontece quando um cachorro é deixado em um carro estacionado no sol ou em qualquer área quente e sem ventilação adequada.














Passo 2
.
Os sinais da insolação são baba excessiva, falta de coordenação, respiração rápida e topo da cabeça quente ao toque. O tratamento imediato é urgente. A temperatura corporal normalmente pode chegar a 41,5ºC e sem um resfriamento rápido, podem ocorrer danos cerebrais graves e morte.
A insolação pode ser prevenida deixando seu cão em local fresco e ventilado. Se você precisa levar o cachorro no carro com você, estacione na sombra e deixe as janelas parcialmente abertas.
Se a insolação acontecer, use as seguintes sugestões para cuidar do seu cachorro da maneira correta.
  • Retire o cachorro do local quente.














    Passo 3
    .
  • Coloque o cachorro em água fria ou o molhe com uma mangueira de jardim, continue esse tratamento por, pelo menos, 30 min.
  • Use bolsas de gelo na cabeça enquanto leva o cachorro ao veterinário.
  • Leve o cachorro a um veterinário imediatamente após o tratamento acima.


Como tratar um cão com hipotermia

A exposição à água fria ou temperaturas muito baixas podem causar a hipotermia ou temperatura corporal sub-normal. A sobrevivência do cachorro vai depender de até quanto sua temperatura cai.
A temperatura corporal normal de um cachorro é 38ºC. Se cair abaixo de 32ºC por qualquer período de tempo, as funções normais do corpo vão ser prejudicadas.
Sinais de hipotermia incluem depressão, corpo com temperatura abaixo do normal e coma. Essa condição sempre pede a atenção de um veterinário o mais rápido possível. Use as dicas a seguir para ajudar a tratar apropriadamente um cão com hipotermia.
  • Aqueça o cão.
  • Coloque uma garrafa de água quente (37ºC) sobre o abdômen do cachorro. Enrole a garrafa em um pano para evitar queimaduras. Enrole o cachorro em um cobertor ou em um casaco.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.

Como ajudar um cão com ferimento perfurante

Um ferimento perfurante em um cão pode ser difícil de ver por causa do pêlo. Como o local mais comum para esse tipo de ferimento é a almofada da pata, o primeiro sinal pode ser mancar. Uma mancha avermelhada na pelagem pode ser sinal de um ferimento perfurante em outras partes do corpo.
Se você suspeita que seu cachorro tem um ferimento perfurante, observe sinais de choque, que incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco e respiração rápidas. As dicas a seguir vão ajudar no tratamento de um cão ferido.
Se o objeto estiver exposto
  • Contenha o cão se necessário, cuidando para não tocar o objeto.














    Passo 3
    .
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Passe uma guia ao redor do pescoço do cachorro e então ao redor de um objeto fixo. Puxe o cachorro para perto deste objeto e amarre a guia de maneira que ele não possa mover a cabeça.
  • Faça uma focinheira no cachorro para sua proteção se necessário.
  • NÃO tente remover o objeto.
  • Coloque panos limpos ou compressas estéreis ao redor do ponto de entrada.
  • Faça uma bandagem firme ao redor do ponto de entrada.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
Outros ferimentos perfurantes














Passo 2
.
  • Contenha o cão, se necessário.
  • Aproxime-se do cachorro lentamente, falando em um tom de voz tranqüilizador.
  • Se o ferimento é no peito e você ouve um som parecido com sucção, faça um curativo para fechar o ferimento e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Se o ferimento não for no tórax, corte o pêlo ao redor do ferimento.
  • Examine o ferimento cuidadosamente a procura de corpos estranhos. Se houver algum, remova o objeto com uma pinça ou alicate de ponta fina.
  • Lave bem o ferimento com água limpa. Evite usar antisépticos, pois podem causar dor.
  • Deixe a ferida drenar a não ser que haja sangramento excessivo.
Se estiver sangrando muito














Passo 4
.
  • Cubra o ferimento com uma compressa de gaze estéril ou uma toalha limpa.
  • Coloque sua mão sobre o curativo e pressione com firmeza.
  • Mantenha a pressão sobre a compressa para parar o sangramento.
  • Se o sangue encharcar o curativo, NÃO o remova. Coloque outro curativo por cima e continue pressionando até parar de sangrar.
  • Se o sangramento não parar em até 5 min, continue pressionando o ferimento e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.









Como tratar um cão em choque

O choque é extremamente sério; é a causa número 1 das mortes em acidentes. O choque é uma reação a um sangramento grave, interno ou externo ou a qualquer ferimento grave que "assuste" o organismo; por exemplo, um corte grande ou uma amputação com grande perda de sangue. O corpo tenta compensar a perda acelerando os batimentos cardíacos para evitar que a pressão sangüínea caia. Ao mesmo tempo as veias que irrigam a parte externa do corpo são contraídas. Isso acontece para conservar a irrigação sangüínea normal nos órgãos vitais.
Entretanto, se houver uma grande perda de sangue ou outro ferimento grave, o corpo reage de forma exagerada causando um acúmulo de sangue nos órgãos internos. Isso pode causar morte por queda da pressão arterial e falta de oxigenação cerebral.














Passo 1a
Os sinais do choque incluem gengivas pálidas ou brancas, pulsação fraca e acelerada, respiração rápida ou temperatura corporal abaixo do normal (pele fria). Se o seu cão está em choque, use as dicas a seguir para prestar primeiros socorros apropriadamente.
  • Veja se o cachorro está em choque.
  • Examine as gengivas levantando com cuidado o lábio superior. Gengivas pálidas ou brancas indicam que o cão está em choque e pode ter ferimentos ou hemorragia interna grave. Se as gengivas estiverem rosadas, provavelmente o cão não está em choque.
  • Determine o batimento cardíaco. Coloque seus dedos com firmeza sobre o cão aproximadamente 5 cm atrás do cotovelo no centro do peito. Conte o número de batidas em 10 s e multiplique por 6. Se o cachorro estiver em choque seu batimento deve ser de mais de 150 batidas por minuto.














    Passo 3
    .
  • Coloque o cachorro de lado com a cabeça estendida.
  • Puxe a língua do cachorro com cuidado para manter a entrada de ar livre.
  • Eleve um pouco a parte traseira do cachorro, usando um travesseiro ou toalhas dobradas.
  • Estanque qualquer hemorragia visível imediatamente.
  • Cubra o ferimento com um pano limpo ou curativo estéril.














    Passo 4
    .
  • Coloque sua mão sobre o curativo e pressione com firmeza.
  • Mantenha a pressão sobre o curativo até parar de sangrar. Se o sangue encharcar o curativo NÃO o remova. Coloque outro curativo por cima e continue pressionando até parar de sangrar. Se o sangramento não parar em até 5 min, continue pressionando o ferimento e leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Enrole pedaços de pano ou outro material macio ao redor do curativo e amarre ou cole com esparadrapo, pressionando apenas o suficiente para segurar a bandagem no lugar. Comece abaixo do ferimento e cubra de baixo para cima.
  • Se o sangramento não parar em até 5 min leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Para conservar a temperatura corporal, enrole o cachorro em um cobertor ou casaco.

Como socorrer um cão inconsciente

Sua primeira prioridade ao lidar com um cachorro inconsciente é fazer o coração bater e o cachorro respirar. Também observe sinais de choque, que incluem gengivas pálidas ou brancas, batimento cardíaco e respiração rápida. Use as dicas a seguir para prestar socorro a um cachorro que perdeu a consciência.
  • Se você acha que o cão está engasgado, desobstrua as vias aéreas.
  • Abra a boca do cachorro cuidadosamente segurando a mandíbula superior com uma mão sobre o focinho.
  • Pressione os lábios do cão sobre os dentes superiores apertando com seu polegar em um lado e os outros dedos no outro, de maneira que os lábios do cachorro fiquem entre os dentes dele e os seus dedos. Aperte com firmeza para forçar a boca a ficar aberta.
  • Se você consegue ver o objeto, tente removê-lo com seus dedos.
  • Se você não conseguir o objeto, e o cachorro for pequeno o suficiente, segure-o pelas pernas traseiras, vire-o de cabeça para baixo e chacoalhe-o vigorosamente. Bater nas costas também pode ajudar a mover o objeto.
  • Se você não consegue remover o objeto e o cachorro é grande demais para ser erguido, coloque-o deitado de lado no chão. Coloque a sua mão atrás da caixa torácica e aperte para baixo e um pouco para frente, com firmeza. Solte. Repita rapidamente várias vezes até o objeto ser expelido.
  • Se você não consegue remover o objeto, leve o cão imediatamente ao veterinário.
  • Se o cachorro estiver respirando, veja se está em choque.
  • Examine as gengivas levantando com cuidado o lábio superior. Gengivas pálidas ou brancas indicam que o cão está em choque e pode ter ferimentos ou hemorragia interna grave. Se as gengivas estiverem rosadas, provavelmente, o cão não está em choque.














Passo 2c
.
  • Determine o batimento cardíaco. Coloque seus dedos com firmeza sobre o cão aproximadamente 5 cm atrás do cotovelo no centro do peito. Conte o número de batidas em 10 s e multiplique por 6. Se o cachorro estiver em choque seu batimento deve ser de mais de 150 batidas por minuto.
  • Coloque o cachorro de lado com a cabeça estendida. Puxe a língua do cachorro com cuidado para manter a entrada de ar livre.
  • Eleve um pouco a parte traseira do cachorro, usando um travesseiro ou toalhas dobradas. Para conservar a temperatura corporal, enrole o cachorro em um cobertor ou casaco.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário.
  • Sinta a pulsação colocando seus dedos 5 cm atrás do cotovelo do cachorro no meio do peito.














Passo 3
.
  • Se o coração estiver batendo, faça respiração artificial.
  • Deite o cachorro de lado.
  • Estique a cabeça e o pescoço do cão. Mantenha a boca e lábios fechados e assopre com força pelas narinas. Faça uma respiração a cada 3 a 5 s. Respire fundo e repita até sentir resistência ou ver o peito subir.
  • Após 10 s pare. Observe o peito para ver se está se movendo, o que indica que o cachorro está respirando sozinho.
  • Se o cachorro não estiver respirando, continue a respiração artificial.
  • Se o coração não estiver batendo faça uma ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com até 20 kg














Passo 5c
  • Deite o cachorro de costas.
  • Ajoelhe-se perto da cabeça do cão.
  • Feche suas mãos sobre o peito do cachorro com as palmas sobre cada lado do peito.
  • Comprima as palmas sobre o peito com firmeza contando até dois e solte contando um. Pressione moderadamente. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min. Como regra geral, faça cinco compressões cardíacas para cada respiração.
  • Pare após um minuto. Observe se há movimento do peito e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos a 5 cm do cotovelo no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo continue a ressuscitação cardiopulmonar.
Ressuscitação cardiopulmonar para cães com mais de 20 quilos














Passo 5b
  • Deite o cachorro de lado.
  • Coloque a palma da sua mão no meio do peito do cachorro.
  • Comprima as palmas sobre o peito com firmeza contando até dois e solte contando um. Pressione moderadamente. Repita aproximadamente 60 a 90/min.
  • Alternativamente (após 30 s), segure a boca e lábios do cachorro e assopre com força nas narinas. Assopre por 3 s, respire fundo e repita, até sentir resistência ou ver o peito do cachorro subir. Tente repetir 10 a 20/min.
  • Pare após um minuto. Observe o peito para ver se o cachorro está respirando e sinta o batimento cardíaco colocando os dedos 5 cm atrás do cotovelo, no meio do peito.
  • Se o coração não estiver batendo, continue a ressuscitação cardiopulmonar.
  • Leve o cachorro imediatamente ao veterinário. A ressuscitação e a respiração devem continuar no caminho ou até o cachorro começar a respirar e o coração começar a bater sem assistência.

Como cuidar de um cão vomitando

O vômito é um dos problemas mais comuns encontrados na medicina veterinária. É a forma natural que os animais usam para livrar seu estômago de uma substância irritante, como comida estragada.
Nem todos os vômitos ocorrem por uma simples irritação. Causas mais graves podem ser uma infecção viral ou doenças do fígado, pâncreas ou rins. É importante buscar ajuda profissional se houver sinais de sangramento ou se o cachorro estiver deprimido e continuar vomitando depois de várias tentativas de controle. Abaixo estão algumas dicas de tratamento de um cão que está vomitando.
  • Remova toda a comida de 12 a 24 h.
  • Se o vômito contiver sangue ou for freqüente, contate seu veterinário imediatamente.
  • Após 12 a 24 horas sem vomitar, ofereça água gradualmente em pequenas quantidades de cada vez. Se o cachorro não vomitar, ofereça uma dieta leve de arroz com peito de frango (mistura 1/2 a 1/2). Se continuar sem vomitar, volte a dieta regular em dois dias, misturando quantidades maiores da comida normal com a dieta leve.
  • Fale com seu veterinário para saber a dose correta para o peso do seu cachorro.

Como ajudar uma cadela a dar cria

O período normal de gestação de uma cadela é 61 a 63 dias. Porém, um parto, um ou dois dias antes ou depois. é comum e não representa motivo para alarme se o estado geral da fêmea estiver bom.
Na preparação para parir, a cadela fará um ninho com jornais picados e pedaços de pano se estes estiverem disponíveis. Senão, ela pode cavar no tapete com as patas dianteiras, como se estivesse cavando um buraco. Fazer o ninho é um sinal importante de que o parto deve acontecer dentro de um ou dois dias. Para deixar a cadela confortável providencie uma caixa de parto com muitas folhas de jornal e panos.
Quando ela começar a fazer o ninho, você também vai notar um aumento das mamas com produção de leite. Outro método bastante preciso para determinar quando a cadela vai dar cria é medir a temperatura retal todos os dias. Aproximadamente 24 h antes do parto a temperatura cai em torno de 1ºC.
Quando estiver perto do trabalho de parto, observa-se a eliminação de um líquido mucoso pela vulva, seguido da eliminação de um líquido esverdeado. Em hipótese alguma este líquido pode ser marrom ou ter cheiro ruim. Se isso acontecer chame o veterinário imediatamente.
A chegada do parto vai deixar a cadela agitada, mas no segundo estágio do trabalho de parto ela vai deitar e começar a ter contrações. Assim que esse segundo estágio começar, o parto deve iniciar dentro de 3 h. Se nenhum filhote nascer nesse período, chame o veterinário.
Um filhote pode nascer de três maneiras diferentes. A apresentação mais comum é pela cabeça e patas dianteiras. A segunda mais comum é pela cauda e patas traseiras, mas não confunda com a apresentação pela nádega. Em uma apresentação pela nádega as pernas traseiras estão dobradas embaixo do corpo do filhote. Em uma cadela pequena este tipo de apresentação pode causar problemas e deve ser observada com cuidado.














Passo 1
.
Durante o parto podem surgir algumas complicações que você pode dar conta facilmente usando as dicas abaixo.
Se o filhote estiver preso no canal do parto com metade do corpo para fora
  • Segure o filhote com uma toalha limpa.
  • Faça uma tração firme, puxando o filhote com cuidado em um ângulo levemente descendente. Continue puxando com cuidado até o filhote sair.
  • Se você não conseguir remover o filhote chame o veterinário imediatamente.
Se a cadela não limpar os filhotes após o parto














Passo 2
  • Coloque o filhote coberto com a membrana fetal em uma toalha limpa.
  • Libere o rosto do filhote imediatamente retirando a membrana.
  • Continue a puxar a membrana do seu corpo. A membrana vai ficar presa ao redor do cordão umbilical. NÃO puxe o cordão umbilical.
  • Retire qualquer líquido da boca e das narinas. Massageie o corpo do filhote vigorosamente com uma toalha, para estimular a respiração.
  • Se houver muito muco no nariz e na boca, limpe o que conseguir com um dedo.
Se o filhote ainda não estiver respirando bem
  • Coloque o filhote em uma toalha na palma da sua mão.














    Passo 6c
  • Segure sua cabeça fechando o polegar em direção aos outros dedos.
  • Usando a outra mão para segurar o filhote, levante suas mãos ao nível da sua cabeça e balance com firmeza em direção ao chão. Repita várias vezes.
  • Massageie o filhote vigorosamente com a tolha novamente.
  • Pare quando o filhote estiver se mexendo e chorando.
  • Amarre um pedaço de fio ao redor do cordão umbilical aproximadamente 2 cm acima da barriga do filhote, deixando o pedaço amarrado preso ao filhote e corte o resto do cordão umbilical e da membrana fetal.
  • Coloque o filhote com a mãe, ela vai cuidar do resto. Se ela não cuidar dos filhotes ou se acontecer algum outro problema, fale com o veterinário o mais rápido possível.
TENHO CERTEZA QUE ESSA MATERIA VAI SERVIR COM UMA GRANDE AJUDA,SE VOCE GOSTOU NAO DEIXE DE COMENTAR É MUITO IMPORTANTE VER A SUA OPNIAO.

                                        .............................................................

                        COMO ESQUENTAR O SEU BICHANO NESTE INVERNO?
ASSIM COMO NOS OS BICHANOS TAMBEM SENTEM FRIO E PRECISA DE ATENÇAO ESPECIAL,QUER SABER COMO ESQUENTA-LOS NESSA ESTAÇAO TAO FRIA,ENTAO OLHA ESSAS DICAS:

                                           CASINHA BEM QUENTINHA
                                          
seu bichano fica no quintal?entao providencie uma casinha do tamanho dele (se a grana estiver curta,use bacias ou caixas de papelao )em seguida coloque-a longe do vento e da chuva e forre o chao com jornal ou papelao,ou entao faça uma casinha voce mesmo de uma olhada:

 Use 2 bacias coloque uma em cima da outra,amarre e corte um buraco no meio.

ou se voce tiver muita imaginaçao e for boa de calculo faça uma igual a essa



ou





                                                                 CAMA QUENTINHA
                                                          
para esquentar os bichanos que ficam dentro de casa,separe um cobertor usado,para os filhotes orfaos,encha uma garrafa plastica pet com agua morna e tampe bem e enrole-a num pano quente esquentado no ferro de passar roupa e coloque no meio do cobertor para mante-lo bem quentinho,troque a agua assim que esfriar.

                                                                       ROUPINHAS
                                                                  
cachorros magros,idosos ou de pelo curto precisam de roupinhas sim,se eles sentirem calor tente peças feitas com tecidos mais leves ,já os gatos tem menos dificuldade para enfrentar o frio e os felinos nao curtem a moda do bicho vestido.

                                                                MENOS BANHO
                                                     
no frio a imunidade baixa quandoo pelo fica molhado principalmente em filhotes e cãos idoso,porisso diminua a frequencia dos banhos,quando for realmente necessario dar um banho no bichano escolha o periodo mais quente do dia ,use agua morna e seque-o com cuidado ,para evitar o choque termico deixe o bichano longe da friagem por 20 minutos.

                                                                BRINCADEIRAS
                                                       

faça seu bichano correr atras de bolas ou ratinhos animais que nao brincam sentem mais frio.

                                                                 MAIS RAÇAO
                                                           
nesse periodo os bichanos sentem mais fome pois o metabolismo acelera para manter a temperatura do corpo,só nao exagere na quantidade porque a obesidade tambem faz mal.

                                                        DOE UM COBERTOR
                                                      

enquanto o seu bichinho esta dormindo no quentinho ,muitos animais adoessem e chegam ate morrer de frio.,cuidados por pessoas de grande coraçao ,mais sem grana eles vivem em abrigos ,cemiterios,ou em ate casinhas na rua.
com o objetivo de aquecer esses peludos a ONG adote um gatinho criou  a CANPANHA DO AGASALHO PARA CAES E GATOS que ja arrecardou mais de 2,5 mil camas ,cobertores e caminhas.
voce tambem pode colaborar doando qualquer pano que seu bichano nao usa mais ou comprando um novo baratinho e entregar em um dos 29 postos conveniados: http://adoteumgatinho.uol.com.br/campanhadoagasalho/pontos.htm
quem mora fora de sao paulo pode procurar  uma organizaçao nao governamental proxima de sua residencia.

                                                        .......................................

                            Dúvidas sobre hábitos e cuidados com animais domésticos
                                   


Você acha que os animais nos entendem? veja a resposta dessa e de outras perguntas sobre a saúde e os hábitos dos animais domésticos. Confira:

1. Os papagaios nos entendem?


Sim, eles nos entendem, mas não é como o cérebro humano. Os animais se adaptam ao meio em que vivem e, em decorrência disso, muitas reações são motivadas por estímulos do que eles estão acostumados a presenciarem. Eles nos observam o tempo todo, é como se estivessem nos filmando, e isso faz com que tenham reações condicionadas. Por exemplo: se sempre que colocar a coleira no seu cachorro, você o levar para passear, ele vai aprender que “colocar a coleira” significa que ele vai dar uma volta. Daí em todas as vezes ele vai esboçar uma reação positiva ao ver a coleira ou pronunciar a palavra “passeio”, se você o acostumou com o som da palavra.



2. A vacina V10 tem que ser dada anualmente?
 

Sim, a V10 é dada anualmente. Quando filhotes são dadas três doses da vacina, algumas raças mais sensíveis são dadas até quatro doses para que o animal adquira anticorpos. Após, a vacina é dada anualmente para ativar a memória de defesa para esses 10 antígenos que a vacina previne.



3. Se o cachorro dormir com o seu dono na cama, é possível transmitir os parasitas pelos lençóis e para pele?

Sim, se o animal tiver infestado com parasitas, como pulga ou carrapato, além de outras doenças e zoonoses comuns, como as sarnas, pode ser transmitido ao homem. Para reduzir esse problema, aplique parasiticida e vermífugo (caso tenha o hábito de beijar o cão) e mantenha alguns cuidados de higiene em dia, como banhos semanais.



4. Tenho dois cachorros e um deles sempre sai para dar uma voltinha. Com isso vem cheio de pulgas e acaba infestando o outro, que não tem o hábito de sair. Existe alguma receita caseira para combater pulgas e carrapatos?

Para combater pulgas e carrapatos é preciso aplicar um carrapaticida ou parasiticida no animal, que são produtos tóxicos e não podem ser feitos em casa, por isso são industrializados e encontrados nos pet shops ou lojas agropecuárias. Além disso, as pulgas são problema do ambiente onde o cachorro fica, isto é, elas ficam 90% no local e apenas 10% no animal, quando vão para se alimentar. Para acabar com as pulgas é preciso dedetizar o local, pois esse parasita costuma botar os ovos em locais baixos, como no chão, no sofá, frestas de madeira. Um grande aliado é o aspirador de pó, passe-o nos móveis e frestas para aspirar os ovos desse parasita.



5. Como acabar com carrapatos?

O cão pega carrapatos após passar por áreas infestadas. Por isso, a melhor maneira é prevenir, aplicando um parasiticida no cachorro uma vez por mês. Outra medida é dedetizar o ambiente com Almitraz, borrifando a substância diluída com uma bombinha própria e os devidos cuidados nos locais mais altos, onde os carrapatos tendem a ficar.



6. Qual exame tenho que fazer em meu cachorro para saber se ele tem leishmaniose?

É feito um exame de sangue chamado sorologia pra leishmaniose.



7. Minha cadela Meg esta com câncer. É aconselhável retirar os nódulos?

Depende muito do tipo de câncer e o local diagnosticado. Além das cirurgias, atualmente existem quimioterapias para combater a doença e outros tratamentos mais específicos.



8. Por que a raça de cachorro Boxer morre tão rápido?

O Boxer é um cachorro de porte médio a grande, e animais de porte maiores demoram mais para se tornar adultos, em média aos dois anos, e também envelhecem mais rápido. Por isso a média de vida de um cão de grande porte são 11 anos. Já com os cães de porte pequeno acontece o contrário. Eles se tornam adultos mais rápido e envelhecem mais devagar, chegando a uma média de 15 anos de vida.



9. Gato tem que dormir dentro de casa?

O gato possui hábito noturno, ou seja, é próprio dele dormir fora de casa. Mas se preferir que ele durma em casa, você pode castrá-lo quando for filhote, isso o deixa mais calmo, sedentário e reduz o instinto de ir pra rua procurar a fêmea, e também ensiná-lo desde pequeno a ficar em casa.



10. Qual o melhor meio para que os animais de estimação não sintam frio?


Se o animal dorme dentro de casa, pode-se usar uma roupinha e colocá-lo numa caminha com panos, no caso de cães e gatos. Caso o animal durma no quintal, por exemplo, é preciso proporcionar abrigo para ele, como uma casinha resistente e segura, longe do vento, colocar junto uma cobertinha e mesmo vestir uma roupa quentinha. O dono deve sempre oferecer formas do animal se esquentar, pois ele foi domesticado e precisa encontrar abrigo também fora de casa.


                                                  ..................................

                                           CUIDADOS COM O COELHO
                                         

                                                              VOCE SABIA?
QUE OS COELHOS PODEM SOFRER COM A FALTA DE INFORMAÇAO DE SEU DONOS?

eles alem de ser lindinhos ,sao delicados e seus ossos sao frageis,e o seu comportamento as vezes é semelhante a de um cao,mais os cuidados no dia dia sao diferentes ,porisso fui atras de informaçoes e vou postar aqui dicas pra voce cuidar bem do seu bichano:

COMPANIA
os coelhos nao se dao bem com roedores como o porquinho da india ,eles só se relacionam bem com outros coelhos.


CASA
o canto do bicho precisa ser confortavel,com espaço para ele se exercitar


COMIDA
eles comem gramas e vegetais ricos em fibras ,a cenoura entra apenas como guloseima


COMPORTAMENTO
ele adora cavar ,se esconder e pular ,isso deve ser incentivado mais em um local apropriado.


SAÚDE

vacine-o nao use medicamento de outros animais e fique de olho em seus dentes eles crescem ao longo da vida assim nada de alimentos macios para este pet.

o seu coelho é um animal super sensivel ,existem duas doenças mais graves que afetam os coelhos ,as duas sao contagiosas e a vacinaçao é a unica forma de protege-los

as duas pricipais doenças que os atingem gravimente sao:
*Mixomatose - Vírus transmitido por mosquitos, moscas, mordeduras ou contacto directo com um animal doente. Os primeiros sintomas de doença são uma conjuntivite severa acompanhada por um corrimento cor de leite, uma anorexia profunda e uma febre elevada. Alguns animais morrem passado 48 horas, outros entram num processo de degradação do estado geral e morrem passado 1-2 semanas. Poucos sobrevivem.

*Doença Viral Hemorrágica - Mais contagiosa do que a Mixomatose com uma taxa de mortalidade de 90 %. Na maioria dos casos os animal são encontrados mortos sem nenhum sintoma anterior.



Vacinação de Coelhos

a vacina deve se iniciar às 4 semanas de idade e a revacinação deve ser realizada de 6 em 6 meses.


A primovacinação para a doença hemorrágica viral deve ser iniciada às 8 semanas de idade, revacinando-se anualmente.
 
CURIOSIDADES SOBRE OS COELHOS
A altura máxima que um coelho consegue saltar é aproximadamente 6 metros
Quando tratado, um coelho pode viver até 10 anos
O tempo de gestação de coelho fêmea é de apenas 1 mês, tendo de 4 a 6 filhotes e amamentando entre 20 e 30 dias; 24h após o parto, entra novamente no cio.
Um coelho tem um raio de visão extremamente amplo. Podendo ver o ambiente que o rodeia atrás de si, sem mexer o pescoço.


                                                    ...........................................
                                               DEVO DAR BANHO NO GATO?



Veja como cuidar do seu gatinho / Foto: Dreamstime
Os felinos não são os maiores fãs de água. No entanto, se o bicho gosta de rua, um banho vai bem.
Mas, antes de ensaboar o bichinho, tenha a certeza de que ele aprovará os esguichos d’água.


Já para o animal que vive dentro de casa não há a menor necessidade.
 “O gato se lambe constantemente e, assim, se mantém limpo”





A escovação frequente, entretanto, é uma boa pedida para evitar que os bichanos engulam pêlos, o que pode lhes provocar problemas gástricos.


                                             como dar banho no gato?

Engana-se quem pensa que somente as lambidas são o suficiente para manter o gatinho livre da sujeira. Pelo menos uma vez ao mês, os felinos precisam ser banhados com muita água e sabão. Entenda sabão como xampu especial para animais: neutro e hipoalergênico. "Como os gatos têm o olfato mais sensível que os cães, perfumes podem desencadear crises de asma ou bronquites" Mas, antes de ensaboar o bichinho, tenha a certeza de que ele aprovará os esguichos d'água. "Gatos que possuem esse hábito desde filhotes aceitam muito bem a higienização. Já se receberem os primeiros banhos somente na vida adulta, o proprietário deve ser paciente e acostumá-los gradativamente desde que dados da forma correta, os banhos ajudam a evitar a proliferação de bactérias e fungos na pele do animal".

CONFIRA PASSO A PASSO COMO DAR BANHO NO SEU GATO!

1-escolha um shampoo apropriado para o bichano,pelos claros merecem produtos com clareador,óptico,ingrediente ativo que deixe o pelo mais branco,já os pelos mais oleosos exigem banhos com adstringente que auxilia na remoçao de gordura .

2-tome cuidado com os olhos ,orelhas e focinho,proteja o ouvido do gato com um pouco de algodao parafinado que nao absorve agua,respingos de agua no ouvido causa terriveis otites e nos olhos o shampoo pode causar uma terrivel irritaçao.

3-se ele estiver arisco ,peça ajuda a alguem e segure as patas só entao comece o banho ,apos o shampoo os pelos mais longos nescessita de condicionador para facilitar a escovaçao ,depois é só enxagoar.

4-agora ajude-o a se secar use um secador na temperatura média posicione o aparelho a 30 centimetros da pele do animal para evitar queimaduras nao deixe atingir os olhos pois esse ar pode provocar lesoes na córnea.

5-para finalizar o banho escove o pelo ,os fios mais longos precisam ser penteados no sentido do crecimento para nao embaraçar ,a escovaçao deve ser um habito diario porque ajuda o gato a se livrar dos pelos mortos e mantem a pelagem saudavel.

                                                           ..........................

                           QUAL O CAO COMBINA COM SEU ESTILO DE VIDA?

                                              

Uma animal de estimação proporciona vários benefícios à família



Quem tem um cachorro sabe o quanto é reconfortante chegar em casa depois de um dia daqueles e ser recebida com latidos entusiasmados.
Mas os benefícios que um animal proporciona vão muito além Quer adotar um cãozinho? Mas ainda não escolheu a raça por causa do espaço é tantas duvidas ,entao de uma olhada nessas dicas.



Para quem mora em apartamento
O ideal são raças de pequeno porte e menos ativas, que se adaptam mais facilmente às restrições de espaço. Lembre-se de que o crescimento varia muito de acordo com a raça. Quem vê um filhote de São - Bernardo, por exemplo, nem sequer imagina que ele poderá chegar aos 70 centímetros de altura e aos 100 quilos.



Para quem tem criança
A expectativa de vida dos cães pequenos é de 15 anos, enquanto a dos grandes fica em torno de 8 anos. Embora poucas pessoas levem esses números em conta na hora da escolha, eles fazem toda a diferença se a família tem criança. Nesse caso, prefira os que vivem mais, para diminuir a probabilidade de ela ter de enfrentar - ainda na infância - uma eventual perda do companheiro. Por serem mais dóceis, as fêmeas costumam fazer ótima parceria com os pequenos, tolerando bem os excessos infantis, tais como abraços fortes, chacoalhões e puxões (mesmo assim é dever dos pais ensinar os filhos a respeitar os bichos e a evitar acidentes). O beagle, o golden retriever e o boxer são famosos como bons amigos da garotada.



Para quem vive correndo
Os cães de pequeno porte atingem o tamanho definitivo em até dez meses. Já os grandes permanecem "crianças" por mais tempo - dois anos em média -, exigindo, portanto, cuidados extras com a alimentação e o desenvolvimento. Se você é muito atarefada, fique com os pequenos.



Para quem quer sossego
O animal deve ter um temperamento parecido com o seu. Se você não gosta de muita agitação - jogar bolinha pra lá e pra cá, rolar pelo chão -, escolha um cão mais pacato. Um truque para identificar a personalidade de um filhote, seja de raça ou não, é juntar a ninhada e jogar qualquer objeto no chão. O primeiro que se aproximar é, provavelmente, o mais espevitado. O tímido vai ficar olhando de longe, com ar desconfiado...


Para quem é alérgico
Fortes reaçoes ao pelo do cachorro privam muitas pessoas desse gostoso convivio,com alguns cuidados essencias,é possivel resolver esse problema a primeira medida é escolher uma raça que nao solte muito pelo como o poodle ,outra soluçao  é  evitar tapetes e impedir o acesso do animal a sofas e camas.


                                                  .............................................
                            PORQUE DEVEMOS CASTRAR CAES E GATOS?


A castração deve ser vista como um modo de proteger a saúde do animal, e não como um sofrimento


                                          

Você, que ama seu amigo peludo, certamente fica com o coração partido ao ver tantos animais abandonados nas ruas e estradas.
A superpopulação de cães e gatos é um problema mundial e tem sua origem numa equação óbvia: para cada pessoa que nasce, 15 cães e 45 gatos vêm à luz, ou seja, não há lares suficientes para todos.
A melhor forma de lidar com isso é evitar as crias não planejadas e que você não poderá assumir. Como? Esterilizando machos e fêmeas.
"As organizações de proteção animal do mundo inteiro lutam para que todos se conscientizem da importância do controle populacional ético, que poupa os animais de sofrimentos e dos sacrifícios em massa efetuados pela chamada carrocinh".
É bom lembrar que a cirurgia é realizada com anestesia e não causa danos à saúde física e emocional dos bichos.
Pelo contrário, cães e gatos castrados a partir dos 2 meses de idade tornam-se mais tranquilos, não marcam território com urina e ficam menos propensos às doenças do aparelho reprodutor.

                                             ..................................................

                      QUAL É A MELHOR COLEIRA PARA O SEU CAOSINHO?

                         Antes de olhar cores e mimimis, pense em conforto e segurança.


                                                        


Para raças pequenas escolha as peitorais: não machucam a garganta e são bem seguras. Cães de médio e grande porte se adaptam muito bem com coleiras convencionais e de largura proporcional ao tamanho do pescoço. Ajuste de forma a não ficar apertada nem folgada. O ideal é que permita a passagem do seu dedo, sem esforço.



E se o seu cachorro for grande, bravo e agitado? Jamais use enforcadores de metal ou com grampos! Eles podem machucar a garganta do bicho e até provocar perfurações. Se não for possível usar outro tipo de coleira, opte pelos enforcadores com limitador, que permitem ajustes seguros.



Mas a melhor coleira para cães agitados e de grande porte é do tipo headcollar, ajustada na cabeça e focinho. Além de ser segura e confortável, não é preciso fazer força pra conduzir o cachorro. O único problema dessa coleira é a adaptação. É preciso seguir direitinho as orientações do fabricante.

                          ...........................................................................
                    OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DIGESTIVO DOS CAES

Você sabia que os cães também sofrem com a gastrite?


O longo trajeto pelo qual passa o alimento - da boca até o intestino - nem sempre é uma viagem tranquila. No meio do caminho, dezenas de doenças podem atrapalhar a digestão. E todas com sintomas parecidos. Ainda assim, o dono pode ajudar no diagnóstico médico. Basta prestar atenção no comportamento do bicho. O relato detalhado levanta suspeitas que serão checadas com exames.Principalmente nos casos graves, essa ajuda é essencial. Descubra agora quais são os problemas mais comuns do sistema digestivo canino e saiba como agir em cada caso.

Boca
Problema: Podem existir problemas periodontais, comuns em animais de meia-idade. O mais comum é o tártaro, que tem como conseqüência a gengivite.
Sintomas: O cão apresenta dificuldade para mastigar. Por isso evita alimentos sólidos, além de comer menos e mais devagar. Pode apresentar ainda sangramento na gengiva.
Tratamento: O veterinário vai analisar a extensão do quadro. A solução pode variar da simples retirada do tártaro até a extração do dente.



Esôfago
Problema: Aqui a ameaça é o megaesôfago, distúrbio que pode ser congênito ou resultante de problemas neuromusculares. Causa a dilatação do esôfago e impede o movimento dos músculos da região.
Sintomas: Regurgitação e emagrecimento. Os alimentos ficam depositados no esôfago e irritam sua mucosa. Por isso são devolvidos ainda não digeridos. E, como desse jeito os nutrientes não são aproveitados, o bicho perde peso.
Tratamento: Se o diagnóstico de megaesôfago for confirmado, o animal vai exigir cuidados especiais. Isso significa que precisará ser alimentado aos poucos e seguir uma dieta pastosa.



Estômago
Problema: Gastrite, a irritação da parede estomacal.
Sintomas: Vômito, às vezes expelido com sangue, e falta de apetite. Alimentos contra-indicados para os cães podem causar essas reações. "É a chamada síndrome da segunda-feira. Depois de abocanhar sobras de churrasco no final de semana, o animal é levado doente ao veterinário", descreve Rodrigo Gonzalez, de São Paulo. Outros agressores são os antiinflamatórios receitados para seres humanos, que podem causar úlceras nos cães.
Tratamento: Dieta branda e um medicamento protetor da mucosa gástrica receitado pelo veterinário.



Intestino
Problema: Verminose.
Sintomas: Alteração na consistência das fezes. Em um estágio avançado, o animal poderá eliminar os próprios vermes.
Tratamento: O veterinário pedirá exames de fezes para descobrir o tipo de verme e indicará um remédio específico.

                                         ----------------------------------------------


                                               COMO TER  UM AQUARIO EM CASA
                                                 

                             Observar um aquário e o vaivém dos peixes pode ajudar - e muito - a relaxar e reduzir os níveis de estresse. Pensando nisso,o blog festalamur deixa aqui  um passo a passo para você montar o seu próprio aquário.



Você vai precisar de:
Peixes - Os mais indicados aos iniciantes são os da família dos vivíparos,
como
 molinésias                                               espadas                                                                                                                        
     
platis                                             e lebistes





Iluminação - Lâmpadas fluorescentes (para aquários maiores de 50 cm de comprimento) ou incandescentes(para aquários menores de 50 cm).


Filtragem - Filtro externo. Serve para conservar a água livre de substâncias tóxicas para os peixes.

                                                 


Aquecedor - Termostato para manter a temperatura média do aquário em 26 ºC.
                                                           



Decoração - Tronco, rochas, plantas artificiais.




Substrato - Cascalho de rio, importante para assegurar este ecossistema.




Dicas:

· Na hora de comprar o equipamento, invista num bom filtro externo.
· Monte tudo e deixe funcionando só com água por um mês para que o ambiente se equilibre biológica e quimicamente.
· Ponha apenas três ou quatro peixes por vez, com intervalos de dez dias, e respeite a capacidade da área.
· Jogue a ração às pitadas para evitar a superalimentação.
· Nunca lave o vidro. Mensalmente, renove 30% da água, aspire o fundo e limpe as paredes com limpador magnético.

                                           -------------------------------------
                                                      PEIXE BETTA


CONHECA O AQUARIO IDEAL  E O CUIDADO PARA PROLONGAR A VIDA DO SEU PEIXINHO


As crianças adoram ganhar peixe betta de presente. Aproveite que é um peixe fácil de cuidar
Por causa da beleza, o peixe betta é muito procurado para aquários domésticos. Poucos sabem, no entanto, do que ele realmente precisa para nadar de forma saudável. À primeira vista, o peixe betta nem é tão exigente: três bolinhas de ração específica bastam para matar sua fome. O aquário não precisa ser imenso, nem ter filtros de limpeza.
Só um detalhe é fundamental e pouca gente cuida disso: para que esse peixe com fama de brigão viva bem, ele deve se sentir em casa. Ou seja, como o betta veio dos arrozais do Tibete, o aquário deve imitar esse ambiente com algas, pedras e areia.Quando deixado só na água, sem nada, o peixe pode se estressar, desenvolver doenças e até morrer.

Por que o peixe betta precisa ficar sozinho?
Não caia na besteira de lhe arrumar um companheiro - ou companheira. O betta só fica bem na solidão. Todo o cuidado com a convivência é pouco até mesmo na hora de reproduzir. "A fêmea deve ser colocada dentro de um vidro com água e esse recipiente, por sua vez, deve ficar mergulhado no aquário".Ele vai ficar batendo no vidro enquanto se acostuma com a ideia de ter a outra por perto - e essa distância é mantida por algum tempo.
O encontro amoroso é rápido, sem dar tempo para desentedimentos. Assim que a fêmea desova, precisa ser retirada do aquário. É o macho que, então, constrói o ninho na superfície, produzindo bolhas com muco que servirão de abrigo para os filhotes. Não se assuste: o aquário até vai parecer sujo. A limpeza, nesse período de dois dias, deve ser feita com uma espécie de aspirador próprio, capaz de retirar impurezas só do fundo, sem comprometer o ninho. Aliás, mesmo quando o betta não se prepara para ser pai, o aquário deve passar por uma faxina três vezes por semana. Nessas horas, o certo é preservar parte da água para não alterar o pH, trocando só o restante.
"Tudo isso é muito importante para prolongar a vida do animal". O cuidado com a moradia do seu novo amigo é o mais importante. Afinal, tudo é controlado pela água, e a queda da sua qualidade pode mexer com as condições fisiológicas do bicho. "Quando vive em um aquário com todos esses cuidados, o peixe se torna mais bonito".

Conheça a espécie:
Nome científico: Betta splendens
Nome popular: Betta

De onde veio: dos arrozais do sudeste asiático, especialmente aqueles na região do rio Mekong, no Tibete

Características: o macho é normalmente maior e tem uma cauda que se abre quando se sente ameaçado. A fêmea tem uma cauda comum, relativamente pequena

                                                                         O aquário ideal:
                                      

. Dimensões: 15 cm (comprimento) X 12 cm (largura) X 12 cm (altura)
. Água: 25% filtrada e o restante turva. Ou seja, só troque um quarto da água do aquário a cada limpeza
. Para completar: areia fina, algas e pedrinhas, que imitam seu habitat

AS PRINCIPAIS DOENÇAS QUE ATINGEM OS BETTAS:

O Betta Splendens, assim como todos os peixes de cativeiro, está sujeito à uma série de doenças, principalmente transmissíveis. Por isso todo criador deve ter em mente que o maior aliado da saúde do betta é a higiene preventiva. Por que é mais fácil evitar doenças do que curá-las.


Prevenção / Profilaxia

A prevenção é a melhor maneira de evitar doenças.

Regra : Não se usa preventivo em peixes saudáveis

(Colocar uma gotinha de anti-fungo pra peixe não ficar doente é estupidez!)

Quarentena

A primeira de todas as medidas profiláticas é fazer a quarentena de peixes e plantas adquiridos. Os peixes e as plantas devem ser primeiramente desinfetados numa solução de permanganato de potássio(eu uso labcon clean). Depois, os peixes devem ser colocados num aquário de isolamento por um período de 28 dias e só então colocado no aquário. Caso não tenha apresentado nenhum sintoma de doença.

Desinfecção

Outra questão importante é a desinfecção de aquários e redes. As redes podem ser desinfetadas com em uma solução de água/cloro numa proporção de 20/1(vinte partes de água por uma parte de cloro.), por um período de uma hora. Depois deste processo a rede deve ser bem enxaguada afim de retirar qualquer resíduo de cloro.

Aquários e betteiras devem ser desinfetados usando o mesmo processo descrito acima. No entanto antes de serem reutilizados devem ficar expostos ao sol, numa solução de água(sem cloro) e sal grosso(1colhe de sopa/L). Afim de eliminar qualquer resíduo de cloro que possa ter sido absorvido pelo silicone.

DOENÇAS CAUSADAS POR PROTOZOÁRIOS E OUTROS PARASITAS

Protozoários são pequenos seres formados por uma única célula. Podem apresentar duas fases no seu ciclo de vida: a forma de cistos e a forma livre-natante. Na maioria das vezes eles se manifestam quando ocorre uma queda brusca na temperatura da água.

                                                          Ictiofitiríase


Nomes comuns: Íctio ou Doença dos Pontos Brancos (Matador de alevinos Nº1)

É causada pelo protozoário Ichthyophthyrius multifiliis, que normalmente se manifesta quando os peixes são submetidos a quedas bruscas de temperatura. No estágio inicial da infestação o peixe se esfrega no fundo e nos objetos de decoração do aquário. As nadadeiras ficam mais fechadas, ocorre perda de apetite e a respiração se torna ofegante. Surgem então pequenos pontos brancos espalhados por toda a superfície do corpo e nadadeiras. Este ectoparasita apresenta um ciclo evolutivo onde os indivíduos alojados sob a epiderme do peixe (trofozoítos) evoluem até alcançar a maturidade. Posteriormente abandonam o corpo do peixe para se alojar no fundo e/ou se fixar nos objetos do aquário e assim iniciar um processo de reprodução através de várias divisões. Um indivíduo maduro gera milhares de novos indivíduos (tomitos), os quais evoluem para uma forma livre nadante (terontes), forma infestante da doença.

Todos os medicamentos destinados ao combate deste ectoparasita somente conseguem eliminá-lo quando este encontra-se na fase livre nadante, ou seja, na fase de teronte. Portanto, para se erradicar esta parasitose do aquário é preciso que o medicamento esteja ativo durante todo o ciclo de vida do parasita, para combatê-lo quando este estiver na fase de teronte.

Um detalhe importante é que a velocidade deste ciclo é extremamente influenciada pela temperatura. Enquanto um ciclo de vida se completa em 35 dias a 10 ºC, este mesmo ciclo terá duração de 2 dias se a água for mantida a 27 ºC.

Quando a água atinge 32 ºC a reprodução do parasita é prejudicada. Aqui está então um recurso de manejo aplicável durante o tratamento da ictiofitiríase. A elevação da temperatura para a faixa compreendida entre 30 e 32 ºC, aumenta a eficiência dos medicamentos levando ao desaparecimento dos sintomas de forma mais rápida.

Tratamento: Temperatura em 30/32º e uso de parasiticida.

Oodiniose


Nome comum: Doença do Veludo. (Matador de alevinos Nº2)

Causada pelo protozoário Oodinium pilullaris. Este protozoário também costuma se manifestar quando ocorrem quedas bruscas de temperatura. Falta de apetite, emagrecimento, respiração ofegante, perda de equilíbrio e numerosos pontinhos dourados conferindo ao peixe uma aparência aveludada, são os principais sintomas desta doença. Ela é muito contagiosa e espalha-se rapidamente no aquário. Seu ciclo de vida é semelhante ao do protozoário causador do Íctio. É comum constatar sintomas de asfixia nos peixes infectados.

Tratamento: Parasiticida associado com fungicida.

Costiose

Nome comum: Costia.

Pode ser causada pelos protozoários Ichthyobodo sp. (Costia sp.), Chilodonella sp., Cylochaeta sp. e Brooklynella sp. entre outros. Os peixes apresentam o corpo com aspecto esbranquiçado ou nebuloso, falta de apetite e presença de ramificações vermelhas nas nadadeiras.

Tratamento: Parasiticida associado com fungicida.

Olhos Embaçados ou Dactylogirose

Causada pelos trematodos monogenéticos Dactylogirus sp. e Gyrodactylus sp. Os peixes apresentam os olhos cobertos com uma espécie de névoa, inchaço das brânquias, respiração ofegante, falta de apetite e outros sintomas associados às infecções por fungos ou bactérias.

Tratamento: Parasiticida associado com fungicida.

DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS

Olhos Inchados (Pop-eye)

Os olhos apresentam-se inchados e com o aspecto "saltado" e fosco. É uma doença causada pela má qualidade da água. Não é uma doença fatal, nem contagiosa e é de fácil tratamento. Ocasionalmente o peixe pode perder o olho afetado.

Tratamento: Troque 100% da água - Use um antibiótico.


Hidropsia

A Hidropsia não é uma doença, mas um conjunto de sintomas e sinais que surgem no decorrer de certas doenças. Ocorre quando há retenção de líquidos na cavidade abdominal, músculos e pele dos peixes, com conseqüências para todos os seus órgãos. Quando isto ocorre, o nível de proteínas do sangue diminui muito, o sangue se dilui, fica aquoso. Ocorre insuficiência dos rins e do coração do peixe. Ele não consegue eliminar água de seu organismo. Incha. As escamas, que estão presas a ele só por uma parte, se levantam, eriçam.

Tratamento: O início imediato do tratamento é essencial. Quanto mais cedo se iniciar, melhores as chances de o peixe reagir. Contra a inchação do peixe, em si, para ajudá-lo a eliminar água, pode-se tentar o uso do sal grosso. Antibióticos indicados são Aureomicina (clorotetraciclina) 25mg/L. Terramicina (oxitetraciclina), 50mg/L,em banhos de 24 a 72 horas, renovando-se a solução se estiver dando resultado. Cloromicetina (cloranfenicol),também é usada na mesma dosagem e tempo que a Terramicina.

Fungo na Boca (Cotton mouth)

Apesar do nome, normalmente é causada pela ação da bactéria Flexibacter columaris . Possuí como característica a presença de pequenos filamentos ou tufos de algodão formando uma grossa camada ao redor da boca. É comum a ocorrência simultânea de fungos.

Tratamento: Uso de antibiótico associado com um fungicida.

DOENÇAS CAUSADAS POR FUNGOS

Possuem como característica o surgimento de estruturas presas aos peixes semelhantes a tufos de algodão. São consideradas doenças oportunistas que se manifestam quando ocorre uma queda na qualidade da água, responsável pela queda no sistema imunológico dos peixes, tornando-os suscetíveis à doença.

Doença do algodão ou Saprolegniose

Causada principalmente pelos fungos Saprolegnia sp. , Achlya sp. e Ichthyosporidium sp. . O peixe apresenta tufos semelhantes a algodão na superfície do corpo ou nadadeiras. Muitas vezes pode haver perda de escamas.

Tratamento: Uso de fungicida.

DOENÇAS CAUSADAS POR ALIMENTAÇÃO INADEQUADA

Problemas de bexiga natatória


Bettas com problemas na Bexiga Natatória nadam com dificuldade e tem problemas em se manter na horizontal. Podem ficar no fundo, nadando por espasmos para chegar à superfície. Podem também ficar sempre na superfície como que "boiando". A causa é a alimentação; má qualidade, pouco variada e (ou) em excesso. Ração em "bolinhas" é o agente nº1 deste problema. Também é um problema muito comum em alevinos de 4/8 semanas que comem apenas nauplios de artêmia. O betta deve voltar ao normal normalmente (principalmente os filhotes), porém em alguns casos o problema é irreversível.

Tratamento: Mudar a dieta. Se possível oferecer alimentos vivos, patês, etc. Evitar as "bolinhas". É interessante colocar o betta em recipiente com poucos centímetros de água. No caso dos alevinos deve-se adquirir algum alimento alternativo(ex.: microvermes). Interromper os nauplios por alguns dias.

Constipação

A causa é a alimentação; má qualidade, pouco variada e(ou) em excesso. Ração de "bolinha" é o causador nº1.

Tratamento: Mudar a dieta. Se possível oferecer alimentos vivos, patês, etc.

                                               SUA REPRODUÇÃO:
                                               
Há vários meios de se conseguir a reprodução dos Bettas em aquário, vou lhe mostrar a maneira que mas tem sucesso em todos os sentidos, tanto no começo na hora do macho construir o ninho até os alevinos sobreviverem à fase adulta.


Vamos dividir por fases:

1º fase - Preparação do aquário: O aquário de reprodução pode ser pequeno (no mínimo 8 litros) ou pode ser grande, eu aconselho usar um aquário  de 20 litros(40x15x20), quanto mais espaçoso for o aquário melhor é, porque a fêmea poderá fugir de forma mais fácil do macho e quando os alevinos nascerem vão ter mais oxigênio na água, fora os hormônios... O aquário deve ficar com o nível da água no máximo de 12cm, eu aconselho 8cm, isso para não causar uma pressão muito forte nos alevinos quando nascerem, e facilitar o trabalho do macho para pegar os ovos. A temperatura ideal é 27 graus e a temperatura mínima para reprodução é de 24 graus. Deve se instalar uma lâmpada de 15 watts para iluminar o aquário durante 24 horas. Para servir de apoio ao ninho pode ser usar plantas flutuantes ou um tronco desidratado, eu aconselho o tronco, deixe o tronco com uma ponta pra fora d'água, se não ele vai ser inútil no aquário. Na água do aquário de reprodução, pingue uma gota de fungicida ou parasiticida (é bom evitar fungos nos ovos).



2º fase - Colocação do macho no aquário: Ponha um macho adulto (mais de 5 meses de idade), que seja maior do que a fêmea que você colocará no aquário, isso é muito importante, se fêmea for do mesmo tamanho ou até maior que o macho o abraço "nupcial" pode ser impossível de acontecer. O macho deve ser bonito, com nadadeiras formadas, de preferência a machos que sempre constroem ninho de bolhas no seu aquário individual, pois esse já tem um instinto reprodutivo avançado.
                                                          
                                                    


3º fase - Colocação da fêmea no aquário de reprodução: Corte na metade uma garrafa de dois litros descartável transparente, a garrafa tradicional de Coca, lave bem, enche de água até o nível de água que o aquário de reprodução estiver, ou seja, se estiver em 8 cm, encha até 8cm a garrafa, para ter o peso ideal de equilíbrio dentro da água e na visão ideal do macho. Ponha a fêmea (ovada, repare se ela esta com o ovopositor a vista e com listras na vertical) nessa garrafa e logo após ponha a garrafa no aquário de reprodução, ponha de um jeito que não fique encostado nas paredes do aquário, para evitar que ele construa o ninho grudado com a garrafa, que seria ruim, pois seria muito vulnerável a movimentos.vire a parte do buraco da garrafa para baixo e encaixe na superficie da agua ela vai ficar boiando tambem pode usar a metade do copo de isopor.
Garrafa pet cortada na horizontal



4º fase - O namoro: O macho vai abrir suas belas nadadeiras e opérculos quando vê a fêmea na garrafa, a fêmea vai ficar com uma cor mais acentuada e agitada, então vai passar umas 2 horas e o macho começará a construir o ninho, se dentro de duas horas ele não construir o ninho, junte o macho e a fêmea no aquário durante 15 minutos e separe novamente, só para excitar ele, e se mesmo assim ele não começar a construir ponha um pedaço de ninho de outro Betta, e só de ele olhar o pedaço de ninho vai começar a construção.

                                               



5º fase - Acasalamento: Depois de 24 horas de namoro e construção do ninho, junte os dois, o macho vai persegui-la e as vezes até dando uns "safanõezinhos"( tem caso que a fêmea persegue o macho), ao passar de 12 a 24 horas, o macho vai conduzir a fêmea pra baixo do ninho, onde dará inicio ao abraço nupcial, no começo a fêmea nem expele ovos, depois do segundo e terceiro abraço começa a vir poucos ovos, depois de meia-hora de abraços, sai mais de 20 ovos por abraço, o total de uma desova em média é de 250-500 ovos(óvulos). Ao mesmo tempo que os ovos são expelidos o macho solta os espermas para fecunda-los, e logo após poe os ovos no ninho(muitas fêmeas ajudam o macho nessa tarefa). Quando você reparar que a fêmea não desova mais, tire ela, pois o macho vai ataca-la até mata-la, pois ela é um intruso na visão do macho.








O macho pega com a boca os ovos que caem no fundo do aquário e recoloca-os no ninho, muda os ovos de lugar par a oxigenação e come os fungados evitando assim que os bons funguem também







6º fase - Eclosão dos ovos: Durante 24 a 48 horas o macho ficará vigiando o aquário inteiro para ver se nenhum "intruso" esta por perto para comer os ovos de sua ninhada, ele vai tratar os ovos com muito carinho, após 24 ou 48 horas (depende da temperatura, quando mais alta menos o tempo de eclosão), os ovos vão eclodir, deles saíram os alevinos com seus sacos vitelinos, onde vai fornecer alimento a eles durante dois dias após o nascimento, eles vão ficar na horizontal, quando eles nadarem na vertical, retire o macho do aquário, pois não terá mais utilidade e pode acontecer do macho comer os seus próprios filhotes depois de 4 dias pós eclosão.



7º fase - Desenvolvimento e engorda dos alevinos: Os alevinos são muito pequenos, precisam de alimentos muito pequenos também, depois do segundo dia de nascimento aconselho dar infusórios, depois do 5º dias de vida dê artêmia salinas recém eclodidas(compre os ovos desidratados em uma loja de aquarismo), com artêmias salinas recém eclodidas os filhotes vão crescer rapidamente, pela quantidade de proteínas que tem no organismo das artêmias, quando os alevinos já tiverem 2 semanas de vida, comece a fazer trocas de água(atenção, deixe a água descansar por um dia para ter certeza que esta sem cloro, e certifique se a temperatura esta igual), precisa trocar no mínimo 20% e no máximo 70% da água, repondo por água nova, é preciso fazer essas trocas d'água, porque cada alevino no aquário vai soltar hormônios, que inpedirá que seus irmãos desenvolvam de forma rápida, portanto, quanto mais trocas de água você fizer no período de 2 semanas até 1 mês de vida, mais rápido os alevinos vão crescer. Quando seus filhotes atingirem 5 meses pode reproduzir eles, mas atenção, nunca reproduza Bettas parentes, como: irmãos, pais, e etc, pois o código genético.

ALIMENTAÇÃO DOS ALEVINOS

Muitas pessoas deixam passar 5 dias, onde os alevinos se alimentariam com sua bolsa alimentícia. Outros, recém nascidos já dão artêmias recém eclodidas.

As opções mais conhecidas para dar de alimento para os alevinos são:

- Lactobassilos:

Não pense logo em Yakult! Não é só ir ao super mercado e comprar uma garrafinha de Yakult e jogar na água de seus alevinos! Digamos que é um pouco mais complicado.

Primeiramente, deve-se adquirir com criadores especializados uma cultura de Lactobassilos, que custa em torno de 10 reais , mas com essa cultura, a sua produção de Lactobassilos pode multiplicar-se, assim por diante, até você não ter mais lugar para por. Mas ainda não é comprovado que de certo, por isso não tenho muitas informações a respeito.

- Microvermes:

Os microvermes são muito parecidos aos lactobassilos, primeiramente se precisa adquirir uma cultura com criadores especializados, logo após, você não terá mais lugar, pois eles se multiplicam muito rápido! Uma cultura de microverme custa em torno de R$ 7,00, e é aconselhado dar dos 5 aos 40dias.

- Cistos de Artêmia:

Cistos de artêmias rende muito, muito mesmo. Geralmente se compra um pote de Cistos, que contêm em média um milhão de naupilos, ou seja, se sua ninhada tiver cem filhotes dura por quase dois meses usando todo dia. É aconselhável, dar após o 40º dia de vida dos alevinos, e até os mesmos conseguirem comer artêmias adultas. Cistos de Artêmias são mais facéis de adquirir e criar, pois são mais resistentes e podem ser adquiridos por correio.

- Gema de ovo:

Não é aconselhado, pois precisa esfarelar muito bem a gema, o que é muito difícil. Também, a gema produz uma substância amarelada que suja muito a água. Para se fazer, pegue uma gema e cozinhe até deixa-la bem molinha e fácil de esfarelar.

- Artêmia recém nascida:

É bom para o crescimento dos alevinos, mas ela precisa ser muito pequenina para que os alevinos possas come-la. Primeiramente


DOENÇAS CAUSADAS POR PH INADEQUADO

Água muito ácida

Nadadeiras fechadas, escamas eriçadas, natação irregular, tremores.


Água muito alcalina

Perda de brilho nas escamas, respiração ofegante junto à superfície. Pode haver perda de escamas.

 
 


  

-------------------------------------------------------------------
OS 6 ALIMENTOS QUE OS CACHORROS NAO PODEM COMER E PORQUE:

 Saúde6 alimentos que não devem ser ingeridos por cães e gatos

Alguns tipos de comida e ingredientes devem ser evitados pelos bichos de estimação, pois podem causar muito mal a eles. Confira quais são
Todo o cuidado é pouco na hora de variar o cardápio do seu animal de estimação. Existem algumas comidas que podem causar um tremendo mal-estar para o bichinho e que devem ser evitadas. Saiba quais são:



1. Chocolate: a grande vilã aqui é a teobromina. Presente principalmente nos chocolates amargos, essa substância age como estimulante e chega a causar extrema excitação nos animais. "Como o organismo de cães e gatos demora muito tempo para se livrar dela, eles podem apresentar taquicardia, hiperatividade, tremores e convulsões"

2. Abacate: a persina, substância encontrada na polpa, na casca e no caroço do abacate, é a culpada por intoxicar os animais que abusam do alimento. Vômito, diarreia, lesões gastrointestinais e até necrose nas fibras do miocárdio, o músculo do coração, são algumas das consequências do exagero.

3. Cebola e alho: eles contêm alicina, que, em felinos e cachorros, pode perpetrar um tipo de anemia conhecido como hemolítica. Trata-se da destruição dos glóbulos vermelhos, os encarregados pelo transporte de oxigênio no sangue. "A intoxicação aparece gradativamente e, para isso, é necessário que o animal consuma uma grande quantidade de cebola ou de alho crus"

4. Ossos: muita gente imagina que os ossos são o petisco canino ideal. Um alerta da FDA, agência que regulamenta o consumo de remédios e alimentos nos Estados Unidos, contraria esse senso comum. Segundo a entidade, não se deve oferecê-los em nenhuma hipótese aos cachorros. "Ao serem mastigados, os ossos, principalmente os cozidos, podem lascar e formar pontas, causando lacerações na boca e no esôfago, quebra de dentes, além de aumentar o risco de infecções bacterianas e obstruções intestinais'.



5. Peixe cru: alimentar cães e gatos com pescados crus nunca é uma boa ideia. Algumas espécies de peixe, sobretudo a tilápia, armazenam doses generosas de avidina e tiaminase. Esse dueto impede a absorção de algumas vitaminas do complexo B, como a biotina e a tiamina. "A deficiência delas está ligada a problemas neurológicos".

6. Leite: trocar o leite da cadela pelo da vaca é péssimo para a saúde dos filhotes. É que o leite canino possui mais proteínas, gorduras, cálcio e fósforo do que o bovino alem de deixar o seu cao ou gato com mais chances de desenvolver vermes.


O bichinho comeu. O que fazer?
Algumas horas após o cachorro ou o gato ingerirem algum alimento inadequado, logo bate aquele mal-estar. Ao observar sinais de irritação, transtornos gástricos, alterações do ritmo cardíaco e respiratório, o bicho de estimação deve ser levado rapidamente ao veterinário. "É muito comum que, ao constatarem a ocorrência de intoxicação, os donos ofereçam leite, o que só piora a situação". O melhor mesmo seria estimular o animal a beber bastante água e não provocar o vômito

VEJA NO SITE cachorro verde MAIS ALIMENTOS QUE É BOM EVITAR http://www.cachorroverde.com.br/proibidos.php

-------------------------------------------------
ANIMAIS E VISITAS ,COMO ACALMAR O SEU BICHANO:
                                             
Inclua o bichinho nas atividades do grupo e garanta paz enquanto as visitas estiverem em casa



Quem tem um bichinho tem que entender que muitos animais acham que ter visita em casa significa entretenimento. Eles começam a latir alto, ficam correndo de um lado para o outro e pulam nos sofás. Antes de se estressar com o comportamento deles, coloque em prática ESSAS DICAS.

Nunca esqueça que ele existe

Quando a visita chega em casa, você tende a dar atenção somente à ela. Isso não é errado, mas se o cão perceber esse comportamento, ele fará de tudo para chamar a atenção. Para evitar que ele comece a corer de um lado pro outro ou latir (e miar) demais, você deve incluí-lo na conversa ou na atividade do grupo, chamando-o pelo nome e fazendo carinho algumas vezes. A mesma técnica pode ser utilizada com os gatinhos.



Não deixe de dar broncas

Se o mal comportamento continuar, você precisa dar broncas. Algumas famílias se sentem mal por gritar com o bichinho na frente das visitas, mas deixar a travessura passar em branco só colabora para que o cão ou o gato se sinta livre para fazer o que bem quiser. Não deixe que ele intimide você e dê palmadinhas se necessário.



Use brinquedos

Um truque que ajuda muito a lidar com o cão ou gato quando ele está agitado é a utilização dos brinquedos. Escolha os favoritos dele e use-os para distraí-lo enquanto a visita está em casa.



Xixi no tapete e outras travessuras

É comum ouvir os donos reclamarem que os cães e gatos fazem xixi no tapete quando a visita chega ou que eles tentam copular com a perna dos outros. Essas situações embaraçosas devem ser corrigidas logo na primeira vez que acontecem. No caso do xixi, é importante enrolar um jornalzinho, dar uma palmadinha de leve e depois mostrar o lugar onde os animais devem urinar. Se o cachorro começar a copular com a perna das visitas, interrompa-o com uma bronca imediatamente.

Se precisar, deixe-o em um quarto separado

Para não incomodar ninguém, prefira deixar o bicho em um cômodo reservado da casa — por mais que seus convidados digam “não precisa...”. Se puder mantê-lo no quintal, melhor ainda:

assim, ele se distrai. Quando todo mundo for embora, chame-o de volta sem fazer muita festa.

--------------------------------------------------
7 DICAS PARA PROTEGER O SEU ANIMAL DE ROJOES E FÓGOS


Não faça carinho no seu bicho quando ele tiver medo dos rojões

Os animais entram em pânico quando os rojões e fogos de artifício começam a estourar. “Cães e gatos ouvem bem melhor que os humanos. Por isso, o barulho é um incômodo para eles”.


7 dicas para proteger seu animal do barulho dos rojões

1. Evite fugas
A primeira coisa a fazer nas noites de festa é fechar bem as portas e as janelas. No desespero, cães e gatos tentam fugir.

2. Crie um refúgio
Coloque seu bicho em um lugar onde ele se sinta seguro. Se puder se antecipar aos fogos, monte um refúgio com água, comida, casinha e brinquedos. Mantenha a luz acesa e, se ele estiver acostumado, deixe TV e rádio ligados. Converse um pouco e faça carinho.

3. Jamais ofereça a comida da ceia
Cuidado redobrado nas comemorações de fim do ano. Pode até ser que o peru esteja divino e a maionese seja light... Mas nada de dar ao seu bicho a comida da ceia de Natal ou de réveillon! Problemas de digestão, somados ao pânico que ele sente dos rojões, podem levá-lo à morte! Alimente-o com a ração de costume e ofereça água. Evite até dar os biscoitinhos dele.

4. Solte a coleira
Não deixe seu cachorro ou gato na coleira. Muitos animais, quando presos, morrem por enforcamento, no desespero de fugir dos fogos e rojões. Se precisar isolá-lo, deixe-o fechado num quartinho.


5. Acalme-o
Homeopatia, florais e acupuntura podem diminuir o medo e a ansiedade do seu animal. Mas esses tratamentos devem ser feitos ao longo do ano. Em casos graves, o veterinário pode aplicar um sedativo.


6. Deixe o bicho no canto dele
Se ele se esconder deixe-o no cantinho que ele escolheu. Provavelmente ele se sente seguro ali.


7. Não faça carinho
Ele entenderá o gesto como aprovação e vai achar que é certo ter medo do barulho. Fique ao lado dele sem paparicá-lo.

-----------------------------------------------------------------
RECEITINHAS CASEIRAS CONTRA PULGAS E CARRAPATOS E OUTRAS DICAS:
Aprenda a tratar esses e outros problemas com remédios naturais Resfriado, alergia a pulgas, ansiedade...
                                               


1. Acabe com qualquer tipo de sarna

Remédio natural: melão-de-são-caetano(ou melão amargo)

Antes de usar essa receita tenha certeza de que é sarna mesmo. Fungo, alergia e outras doenças de pele também causam queda de pelos. Se for sarna, diariamente, por três semanas, dê um banho normal no bicho, seque com uma toalha e aplique o suco puro do melão. Deixe agir por 10 minutos (ele não pode lamber, é tóxico!), enxágue bem e seque.


2. Aumente a resistência do seu pet

Remédio natural: aveia
Se ele estiver doente, misture na ração entre 1 e 2 col. (café, chá, sobremesa ou sopa, conforme o tamanho do cão), ou até 1 col. (chá) se for um gato. Mas se ele está dodói do aparelho digestivo, a aveia pode dar diarreia! Nesse caso, use o chá das folhas.


3. Acabe com cólicas e desintoxique seu animal
Remédio natural: água de arroz e chá de erva-doce
A água de arroz ajuda a desintoxicar e o chá alivia cólicas. Lave arroz cru (use de cada vez um copo de água para cada ½ xícara de arroz comum) e separe a terceira passagem da água. Coloque numa seringa sem agulha e dê um pouquinho do líquido várias vezes ao dia. Intercale o remedinho com chá de erva-doce, que alivia as cólicas.


4. Para acalmar bichos que ficam sozinhos

Remédio natural: folhas de maracujá (passiflora)
Numa panela sem tampa, ferva por 10 minutos de 3 a 5 g de folhas de maracujá em 250 ml de água. Quando esfriar, misture esse chá na água que o animal bebe.



5. Espantar pulgas e carrapatos

Remédio natural: arruda
Prepare uma infusão com 20g de folhas de arruda em 1 litro de água quente (sem ferver) e use como a última água de enxágue após o banho normal. Deixe secar naturalmente. Galhos da erva-de-santa-maria sob a cama deles agem como repelente.


6. Cicatrização mais rápida para pequenos machucados

Remédio natural: couve
Coloque uma folha de couve macerada sobre Coloque uma folha de couve macerada sobre o ferimento. Mas, se ele insistir em comer o curativo, use o plano B: deixe a couve pra lá e misture 1 parte de tintura de calêndula em 2 partes de água fervida e filtrada e passe no machucado de três a quatro vezes ao dia.


7. Aliviar sintomas de gripes, resfriados e tosses

Remédio natural: guaco
O veterinário já deu o diagnóstico? Então prepare o xarope: ferva 6 folhas picadas de guaco em ½ litro de água, coe, misture o suco de 1 limão e adoce com 3 col. (sopa) de mel puro. Dê 1 col. (de chá, sobremesa ou sopa, conforme o tamanho do bicho), de três a quatro vezes ao dia.

---------------------------------------------------------
FAÇA VOCE MESMO UM SABAO CONTRA PULGAS E CARRAPATOS:
                     
Ingredientes*


- 1 barra (200 g) de sabão glicerinado

- 20 ml de óleo de Neem (encontrado em casas de jardinagem)

- 10 gotas de óleo essencial de cravo, citronela ou eucalipto


Modo de preparo

Em banho-maria, amoleça o sabão até ficar cremoso. Retire do fogo e esfrie até atingir 40ºC (meça com um termômetro). Adicione os óleos, mexa bem, ponha em forminhas e leve ao freezer por 20 minutos. Use esse sabão para dar banho em seu cão ou gato como maneira de evitar que ele pegue pulgas e carrapatos ou para acabar com uma infestação.

----------------------------------------------------------
NAO DE ESSES ALIMENTOS PARA CAES E GATOS,VEJA OS SINTOMAS QUE ESSES ALIMENTOS PODEM CAUSAR:
                                    
                   evite dar chocolate, cebola, leite e ossos para os cães e gatos.



CEBOLA – Provoca anemia.

LEITE– Pode dar diarreias intensas porque o organismo dos bichos não consegue digerir a lactose (o açúcar do leite).

CHOCOLATE– É tão tóxico para cachorros e gatos que, dependendo da quantidade, pode até matar.

OSSOS – De porco, de galinha ou aqueles que soltam lascas pontudas, o perigo é os ossos ficarem presos no esôfago ou causarem obstruções e até perfurações intestinais.

---------------------------------------------------------
CALMANTE NATURAL PARA OS BICHANOS MEDROSOS E ESTRESSADOS:

                                                  
Seu bicho chega a tremer de tanto medo de trovões, de veterinário, de estranhos? Fica agitado durante viagens longas, mesmo que você pare o carro várias vezes pra ele dar uma voltinha? Experimente usar óleo essencial de lavanda, que ajuda a combater o estresse e as tensões nervosas sem dar alergia ou efeitos colaterais. Em casa, use num difusor apropriado. Durante as viagens, pingue uma gota numa bolinha de algodão e deixe perto dele – o suficiente pro cheirinho ter efeito sem se tornar enjoativo. Segundo os aromaterapeutas, óleos essenciais agem no sistema límbico, região do cérebro que controla as emoções. A lavanda é um dos mais usados em clínicas dentárias, maternidades e hospitais. Mas atenção: precisa ser óleo essencial mesmo e puro. Só cheirinho de lavanda artificial não funciona.
_______________________________________________________
QUEM NUNCA DEU UM REMEDINHO POR CONTRA PROPRIA PARA O BICHANO QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA,VEJA AQUI REMEDIOS PERIGOSOS QUE NAO DEVE DAR PARA SEU BICHANO,E PORQUE:

                                                
Tomar remédio por conta própria pode fazer mais mal do que bem e (finalmente!) o Ministério da Saúde proibiu a venda de antibiótico sem receita – mas ainda há muitos medicamentos de venda livre que deveriam entrar pra essa lista. Mesmo cães e gatos correm até risco de vida se usarem certos remédios que são tóxicos pra eles: os efeitos colaterais vão desde falta de ar até coma e morte. Então nada de medicar o totó ou o bichano sem orientação veterinária, ok?




Medicamentos que gatos não podem tomar:
Paracetamol (Tylenol, Parador, Acetofen), benzocaína (Andolba), vermífugos, shampoos, sprays, sabonetes e antipulgas para cães, ácido acetilsalicílico (Aspirina, AAS, Doril, Melhoral), azul de metileno, diclofenaco (Cataflan e Voltaren), ivermectina (Ivomec, Mectimax).



Medicamentos que cães não podem tomar:
Diclofenaco (Cataflan e Voltaren).



Medicamentos que cães só podem tomar com orientação veterinária:
Paracetamol (Tylenol, Parador, Acetofen), ácido acetilsalicílico (Aspirina, AAS, Doril, Melhoral).


Atenção: ivermectina (Ivomec, Mectimax) não pode ser dada a cães de certas raças (ou que tenham cruza com elas), como o collie.

             ----------------------------------------------------------------------------
                                COMO SOCORRER UM CAO COM CONVULÇAO
Caso seu cão apresente algum sintonomas de convulsão, procure imediatamente um veterinário

A convulsão é o resultado da descarga elétrica do cérebro para os músculos do corpo do cão. Geralmente as crises duram de 20 segundos a um minuto e podem ter diversas causas: traumas, epilepsia, intoxicações, hipoglicemia e até tumores cerebrais. A coisa mais importante a ser feita se seu cão estiver em convulsão é protegê-lo de se ferir sozinho. Seja paciente e calmo, não entre em pânico e preste apenas o socorro necessário.

Saiba como agir em caso de convulsão:

1. Aproxime-se por trás do animal e posicione uma almofada sob sua cabeça para evitar que, na agitação, ocorram choques, causadores de traumatismos.

2. Leve-o imediatamente ao veterinário.

3. No caminho, pressione o corpo do bicho sobre o seu, evitando que ele bata o corpo e se machuque.

4. Jamais puxe a língua do animal para fora da boca.
Fique atento à duração da crise. Leve o animal ao veterinário com urgência. Após a estabilização da crise com remédios, ele pedirá exames que identificarão as causas da convulsão e indicará medicamentos para normalizar as ondas cerebrais.

                                                               
                                                  -------------------------------------------
                                                         CUIDANDO DO SEU GATO

                                                                 

Mesmo longe de casa, tenha certeza de que seu gatinho esteja sendo bem tratado



Cuidados com o seu gato

Com as férias e a correria de final de ano, os bichanos não podem se sentir abandonados. Se for viajar, invista um valor num hotelzinho ou pague alguém para alimentar, brincar e fazer a limpeza do ambiente do animal.

Mudanças
Os bichanos são apegados à casa, aos donos e sofrem com mudanças. É por isso que se você for dar atenção ao bichinho, é necessário que o faça sempre no mesmo horário. Se você estiver cuidando de um gato, visite-o sempre na mesma hora que a família o fazia, assim você facilita a adaptação na ausência do dono.


Brincadeiras
Barbantes e bolinhas de papel-alumínio são diversão garantida para os gatinhos. Os bichanos também se divertem brincando na grama e andando entre pernas de cadeiras.


Hábito
Se você vai deixar seu gatinho com alguém, é preciso dar todas as diretrizes para a pessoa que vai cuidar dele. Diga se vai ou não deixá-lo dormir na rua, informe horários de comida e como deve ser feita a limpeza.


Quanto custa?
Quando você não está em casa, o melhor a se fazer é deixar o seu bichano nas mãos de alguém experiente em cuidar de gatos. Uma diária de R$20, por exemplo, inclui dar comida ao peludo, trocar a água, limpar a caixa de areia e brincar (ou fazer carinho) durante uma hora.

                           ------------------------------------------------------------
                                           CUIDANDO DO SEU CAO

                                                           
Se tratado com cuidado e carinho, seu pet não sofrerá tanto com a sua falta quando você não estiver em casa



Levar o cachorro na viagem pode causar desconforto tanto para sua família, quanto para o animal. Nas férias, organize-se para que não falte nada ao cãozinho quando vocês estiverem longe.

Hotelzinho
Se for hospedar vários animais em casa, o ideal é deixar um bichinho em cada cômodo, para evitar brigas e transmissão de doenças. Cães da mesma família não precisam ser isolados. Ao deixar seus bichinhos com alguém, sempre questione o ambiente onde eles ficarão na sua ausência.


Mantenha a limpeza
Desinfete tudo com cândida antes da chegada dos peludos e quando eles forem embora. Use luvas para limpar cocôs. Não compartilhe utensílios.

Evite acidentes
Tire do caminho plantas tóxicas, objetos que quebram e objetos cortantes. Deixar o cãozinho longe de qualquer possibilidade de acidente é essencial também para o seu conforto.


Quanto custa?
As diárias para que alguém cuide do seu cachorro giram em torno de R$20 para os de pequeno porte e R$25 para os de grande porte. O valor é sempre negociável.


Tenha sempre à mão

· O telefone de onde a família do animal estará ou o telefone de quem vai cuidar do seu bichinho
· O número de um veterinário de confiança.
· Petiscos para o caso de o bicho perder o apetite.
· Gaze para irritação nos olhos (use com água gelada e não soro fisiológico).
· Rifocina para borrifar em machucados leves.
· Probiótico para diarreia.
· Plasil em gotas para vômito (siga a dosagem recomendada por um especialista).
· Dipirona sódica em gotas para dor e febre (vale a mesma recomendação para o Plasil).
· Carvão ativado para envenenamento (vendido em pet shops).

                                            ----------------------------------------
        APRENDA A SOCORRER O SEU BICHANO EM CASO DE ENVENENAMENTO

                                           
Caso seu cãozinho apresente algum sintoma de envenenamento, procure imediatamente um veterinário
Além de diversas espécies de plantas de jardim, adubos e pesticidas também podem ser nocivos aos bichos e ser causa de envenenamento. Por isso, ao tratar das plantas de casa, todo cuidado é pouco. Tudo porque, muitas vezes, os cães engolem as folhas por instinto para facilitar a digestão ou favorecer o vômito quando estão passando mal - e até mesmo a simples curiosidade, comum nos filhotes.

Fique atenta! Os primeiros sinais de envenenamento são: salivação, vômitos, inchaço, vermelhidão na boca, taquicardia, diarreia, tremores, secreções bucais e até convulsões. Caso seu cãozinho apresente estes sintomas, procure imediatamente um veterinário. Rapidez é essencial para a recuperação do animal.

Como agir em caso de envenenamento:

1. Identifique o que causou a intoxicação, procurando vestígios na boca ou na casinha do animal. Em caso de produtos químicos ou envenenamento por plantas, leve a embalagem do produto ou a espécie sob suspeita ao veterinário. Se você se encontrar longe de um profissional, dê carvão ativado diluído em água. Ele impede a absorção completa do agente tóxico pelo organismo, mas só funciona quando aplicado logo após o incidente.

2. Com uma luva cirúrgica, lave a boca do animal com água abundante. Não provoque o vômito, pois se o agente for uma substância corrosiva, como a soda cáustica, ela ocasionará mais ferimentos no esôfago do animal. Leve-o imediatamente a um hospital veterinário.

3. Mantenha o animal em jejum. Não dê leite porque esse alimento pode reagir com o produto que provocou a intoxicação.

Se você não consegue identificar o agente causador do envenenamento, procure orientação no Centro de Controle de Intoxicações: 0800-7226001

-----------------------------------------------------------------------------------------------------
                                              PRIMEIRO SOCORROS
                                                   
                      CuidadosPrimeiros socorros em animais de estimação


Aprenda como agir sem entrar em pânico em casos de fratura, sangramento, intoxicação e outros acidentes envolvendo cães e gatos



O que fazer em casos de urgência?

Imagine um carro se chocando contra um bichinho e o motorista indo embora sem fazer nada. Será que devemos imobilizar o membro quebrado? Estancar o sangue? E se seu animal se envenenar - pode usar carvão ativado (veja kit de emergência) ou é melhor forçar o vômito?

Ninguém quer passar por essas situações. Porém, se você quiser estar preparada para ajudar um amiguinho em apuros, veja o que os especialistas ensinam nesta reportagem. Entre o "local do crime" e a clínica veterinária, suas atitudes podem salvar uma vida...


Como agir em caso de atropelamento?
Animais que sobrevivem a acidentes assim provavelmente terão dificuldades para andar, por causa das fraturas.
                                                                                                                  
RISCOS
Trauma cerebral, hemorragia interna, perfuração de órgãos, comprometimento dos nervos da coluna vertebral e da medula óssea, morte.


COMO SOCORRER

- Hemorragia externa
Tente estancar o sangue, colocando uma compressa na área e pressionando com as mãos. Só tome cuidado com as dentadas.

- Sangramento nasal
Deixe o peludo com a cabeça inclinada para baixo, facilitando a drenagem.

- Fratura
Evite virar o pescoço, dobrar a coluna ou mexer demais no bicho. Se a imobilização do membro quebrado ficar apertada, os dedos (e, às vezes, a pata inteira) podem gangrenar.


- Fratura exposta
É necessário recolocar o osso no lugar antes de enfaixar. Deixe o trabalho para um profissional.


- Desmaio
Essa não tem jeito: corra para o veterinário!


Como agir em caso de intoxicação?
Um bicho intoxicado pode vomitar, espumar, ficar ofegante, e ter diarreia, tremores ou até convulsões.

RISCOS
Queimaduras, insuficiência respiratória, parada cardiorrespiratória, lesões no esôfago e no estômago, morte.


COMO SOCORRER

- Ingestão por produtos químicos ou plantas tóxicas
Dê logo carvão ativado diluído em água. Ele só funciona quando ministrado imediatamente após a intoxicação. Dependendo do que causou o estrago, oferecer leite ou forçar o vômito só vai piorar a situação.

- Contaminação por produtos aplicados na pele
Lave o animal com água e sabão. Vale dizer que remédios mal diluídos ou em quantidade superior à indicada também causam intoxicação.


Mantenha os animais longe das plantas
Aqui estão as espécies tóxicas mais comuns. Damos também o nome científico de cada uma, porque os nomes populares mudam de região para região. Se tiver dúvidas sobre outras plantas, pergunte a um veterinário...


- Açucena Hippeastrum 
        organense



- Amarílis Amaryllis
      belladonna



- Azaleia Rhododendron
            indicuns



- Bico-de-papagaio
Euphorbia pulcherrima



- Cipó-imbé
Philodendron spp



- Comigo-ninguém-pode
  Dieffenbachia amoena



- Copo-de-leite
Zantedeschia aethiopica



- Coroa-de-cristo
  Euphorbia Mill



- Costela-de-adão
 Monstera deliciosa



- Espada-de-são-jorge
  Sansevieria trifasciata



- Espirradeira
Nerium oleander



- Figueira-do-inferno
 Datura stramonium



- Hera
Hedera helix



- Hortência
Hydrangea macrophylla



- Íris
Iris germanica



- Jiboia
Scindapsus aureus



- Mamona
Ricinus communis



- Narciso
Narcissus hybridus



- Olho-de-cabra
Ormosia arborea



- Orelha-de-elefante
 Kalanchoe thyrsiflora



- Roxinha
Euphorbia cotinifolia



- Trombeteira
Datura stramonium



- Tulipa
Tulipa hybrida




                                                      Monte um kit de emergência
                                                        

Além do telefone de uma boa clínica veterinária, quem tem bicho de estimação precisa ter sempre à mão...

- Gaze para irritação nos olhos (Use água gelada em vez de soro fisiológico: se o animal ficar exposto ao vento, sobrará apenas sal no olho, e isso pode trazer complicações);

- Atadura para fratura;

- Pomada para inflamação;

- Rifocina para machucado leve;

- Probiótico para diarreia;

- Plasil (gotas) para vômito (Siga a dosagem recomendada por um especialista, para evitar intoxicação);

- Dipirona sólida (gotas) para dor e febre;

- Carvão ativado para envenenamento (Vendido em pet shops)
-------------------------------------------------------------------------------------------------------























Nenhum comentário: